Campeonato Pernambucano

Sport vence nos pênaltis e é campeão de 2006

Publicado em 09/04/2006, às 18h33 | Atualizado em 01/08/2014, às 10h26

ATUALIZADO ÀS 18H58

Wladmir Paulino
Do JC OnLine

Todas as doses de drama entraram na receita, mas, no final, deu o time que fez a melhor campanha. Após 14 cobranças de pênaltis, o Sport sagrou-se campeão pernambucano de 2006, depois de perder por 1x0 para o Santa Cruz no tempo regulamentar, neste domingo à noite, na Ilha do Retiro, no Recife. Os heróis foram o goleiro Gustavo, que defendeu três pênaltis, e o volante Hamilton, que bateu a penalidade decisiva. Foi o 35º título da história do Leão.

Como só a vitória interessava, o técnico Giba não teve outra alternativa a não ser armar o Santa Cruz bem ofensivo. Assim, o tricolor entrou com três atcantes: Carlinhos Bala, Paulinho e Thiago Tubarão. Já Dorival Júnior rendeu-se ao bom futebol de Éverton no primeiro jogo e escalou o prata da casa como titular.

Ao menos no início da partida, o técnico rubro-negro mostrou-se mais feliz na sua escolha. Com uma boa marcação, principalmente no meio-de-campo, o Sport não deixou o Santa aproximar-se com perigo da meta de Gustavo. Melhor ainda: Geraldo teve uma marcação menos dura e pôde participar mais do jogo.

Porém a superioridade do Sport na posse de bola foi diminuindo à medida que o tempo avançou. O Santa ajustou a marcação na saída de bola dos leoninos e passou a incomodar mais a retaguarda do adversário. O problema foi chegar com boas condições de finalizar.

Assim, os chutes vinham mais de longe, sem tanto perigo para o goleiro Gustavo. Muito disso aconteceu pelo excesso de faltas cometidas pelos jogadores rubro-negros - mais de 20 na primeira etapa. Num desses arremates de média distância, Rosembrik mandou do bico da grande área pelo lado direito e a bola bateu no braço esquerdo do zagueiro Durval. Djalma Beltrami interpretou como lance normal. O Sport ainda perdeu Everton aos 24 minutos, por contusão. Rodriguinho assumiu o posto.

No segundo tempo, o time da Ilha veio com uma marcação mais eficiente e não deixou o Santa jogar. Da mesma forma que ocorrera na primeira etapa, os tricolores chegavam, rondavam a área, mas não conseguiam penetrar na defesa leonina, sempre bem postada.

As melhores oportunidades terminaram indo para o lado rubro-negro. Aos 17 minutos, Osmar e o goleiro Gilmar bateram cabeça e a bola sobrou para Bruno. Ele entrou na área, mas demorou a chutar. Osmar conseguiu se recuperar e mandou a escanteio. Mas o Santa tinha Carlinhos Bala e ele chegou bem perto do gol logo no minuto seguinte. Ele recebeu de Thiago Tubarão e chutou na rede, mas pelo lado de fora.

O Sport foi à frente outra vez e, aos 21, Fumagalli fez boa jogada pelo lado direito e cruzou para Marcos Tamandaré. O lateral pegou mal na bola e mandou para fora, de cabeça. O Santa chegou a fazer um gol, com Marco Brito, mas ele estava impedido. O gol salvador para os corais veio através de um jogador que ainda não marcara neste Estadual. Aos 45 minutos, Lecheva bateu escanteio pela direita e Bruno mandou para as próprias redes. Santa 1x0. Como mandava o regulamento do Campeonato, a definição foi para as cobranças de pênaltis.

PÊNALTIS - O time do Arruda abriu a série, com Marco Brito. Ele bateu mal e Gustavo defendeu. Leo Oliveira teve a chance de pôr o Sport na frente, mas chutou fraco. Gilmar defendeu. O juiz mandou a cobrança voltar porque o goleiro tricolor havia se antecipado. Na segunda cobrança, Leo acertou o travessão. As cobranças seguintes foram bem convertidas: Thiago Tubarão e Alex Oliveira marcaram para o Santa enquanto Marcos Tamandaré e Geraldo anotaram para o Sport.

Durval bateu o quarto pênalti para o Leão e Gilmar defendeu. O bicampeonato estava nos pés de Lecheva. Mas Gustavo fez a defesa. Wellington converteu em seguida e a disputa foi para as séries alteranadas.

O primeiro foi o goleiro tricolor, Gilmar. Bateu forte, sem chance para Gustavo. Marco Antônio, que ainda não marcara gols com a camisa do Sport, bateu bem e deixou tudo igual. Aí Neto foi bater. O goleiro do Sport saltou no canto certo e segurou a bola. Hamilton, que ainda não marcara gol, bateu bem e deu o título ao Sport.

Ficha do jogo

Sport: Gustavo; Marcos Tamandaré, Kléber, Durval e Bruno; Hamilton, Everton (Rodriguinho), Wellington e Geraldo; Fumagalli (Leo Oliveira) e Anderson (Marco Antônio). Técnico: Dorival Júnior.

Santa Cruz: Gilmar; Osmar, Carlinhos Paulista, Valença e Xavier (Alex Oliveira); Neto, Júnior Maranhão e Rosembrik; Carlinhos Bala, Paulinho (Marco Brito) e Thiago Tubarão.

Local: Ilha do Retiro.
Árbitro: Djalma Beltrami (Fifa-RJ).
Assistentes: Aristeu Tavares (Fifa-RJ) e Hilton Moutinho (Fifa-RJ).
Cartões amarelos: Everton, Wellington, Fumagalli, Gilmar, Carlinhos Paulista e Júnior Maranhão.
Expulsão: Carlinhos Bala.
Gol: Bruno (contra) aos 45 do segundo tempo.
Pênaltis: Tamandaré, Geraldo, Wellington, Marco Antônio e Hamilton para o Sport. Thiago Tubarão, Carlinhos Bala, Alex Oliveira e Gilmar, pelo Santa Cruz. Renda: R$ 288.970.
Público
: 33.282.

PALAVRAS-CHAVE:

COMENTE ESTA MATÉRIA

Nome:
E-mail
Mensagem

O comentário é de total responsabilidade do internauta que o inseriu. O NE10 reserva-se o direito de não publicar mensagens com palavras de baixo calão, publicidade, calúnia, injúria, difamação ou qualquer conduta que possa ser considerada criminosa.

Vitrine NE10
Vitrine NE10
Fechar vídeo