Difusão

Feitos de silêncio e som

Publicado em 22/06/2018, às 17h04 | Atualizado em 22/06/2018, às 17h18

Por Marcelo Sampaio de Alencar

assovio, ou assobio, é um som de frequência definida que se usa, por exemplo, para a produção de música / Foto: Pixabay

assovio, ou assobio, é um som de frequência definida que se usa, por exemplo, para a produção de música Foto: Pixabay

Além dos fonemas sonoros, gerados a partir da vibração das cordas vocais, o trato vocal também produz sons surdos, quando a glote está totalmente aberta, de forma a permitir a passagem da corrente de ar que vem dos pulmões; neste caso, as cordas não vibram para produzir o som.

Essa passagem livre do ar geralmente leva à produção de sons consonantais, que são modulados pela relação posicional entre a língua, os lábios, os dentes, os alvéolos e os palatos duro e mole.

Entretanto, uma outra opção para a abertura total das cordas vocais é a produção do assovio, ou assobio, um som de frequência definida gerada a partir da expiração continuada através da boca, que se usa, por exemplo, para a produção de música.

Nesse caso, uma certa turbulência é necessária para a geração do som, e a boca deve servir como caixa de ressonância para reforçar a sonoridade resultante, atuando como um ressonador de Helmholtz.

A ressonância de Helmholtz

A ressonância de Helmholtz é um fenômeno de produção sonora que ocorre quando o ar passa por uma cavidade. Hermann Ludwig Ferdinand von Helmholtz (1821-1894) foi o matemático, médico e físico alemão que demonstrou esse efeito, a partir do equipamento que ele mesmo construiu.

A cavidade ressonante da boca produz o assovio, em determinada frequência, ou altura. Ele é então modulado pela posição da língua. Por exemplo, é possível produzir silvos nas frequências de 500 Hz, 1000 Hz, 2000 Hz e 4000 Hz, que são harmônicas.

Em geral, pela dimensão do trato vocal, os homens produzem assovios básicos mais graves, aqueles de frequência mais baixa, como na faixa da nota Lá, ou seja, 440 Hz. As mulheres produzem silvos mais agudos, em consonância com a dimensão de seu trato vocal. Os silvos contém outras frequências, que formam o timbre da voz.

Vários instrumentos usam ressonância para produzir o som, como, por exemplo, a flauta e a tuba.Um tubo ressonante produz uma frequência específica, de acordo com sua dimensão. Outros instrumentos usam a cavidade para ampliar o som produzido, como o violino, ou o violão.

Curiosamente, o trato vocal, por ser flexível, tem a capacidade de produzir sons em uma faixa, ou tessitura, ampla, o que seria difícil para instrumentos de dimensões fixas ou invariantes no tempo.

Por exemplo, a tuba tem uma grande dimensão, para poder produzir sons graves, ou baixos. A tuba de som mais grave é a contrabaixo, que produz som fundamental na faixa de 32 Hz, para a afinação em Dó. O tubo principal dessa tuba chega a 4,9 m de comprimento. Para referência, a nota mais baixa do repertório conhecido chega a 16 Hz.

A faixa de frequências de 10 Hz a 15 Hz, que não chega a ser alcançada pela tuba mais grave, geralmente representa uma região de inflexão, que separa a duração do som, característica típica da marcação obtida com a percursão; de sua altura, ou frequência, que é um aspecto relacionado com a harmonia em teoria musical.


*As colunas assinadas não refletem, necessariamente, a opinião do NE10

PALAVRAS-CHAVE: difusão notícias som

Difusão Marcelo S. Alencar Marcelo Sampaio de Alencar é professor titular da UFCG e presidente do Instituto de Estudos Avançados em Communicações (Iecom).. Email: sampaio.alencar@gmail.com e no twitter: @marcelosalencar

Continue Lendo

COMENTE ESTA MATÉRIA

Nome:
E-mail
Mensagem

O comentário é de total responsabilidade do internauta que o inseriu. O NE10 reserva-se o direito de não publicar mensagens com palavras de baixo calão, publicidade, calúnia, injúria, difamação ou qualquer conduta que possa ser considerada criminosa.

Vitrine NE10
Vitrine NE10
Fechar vídeo