Equipamentos

PE: carros usados em testes práticos de direção terão duplo freio em duas semanas

Amanda Miranda Amanda Miranda
Amanda Miranda
Amanda Miranda
Publicado em 31/07/2015 às 11:40
Leitura:

Candidata colidiu em parede de uma sala de atendimento ao público esta semana / Foto: Sindetran-PE/Facebook

Candidata colidiu em parede de uma sala de atendimento ao público esta semana Foto: Sindetran-PE/Facebook

O Departamento Estadual de Trânsito de Pernambuco (Detran-PE) prometeu, nesta sexta-feira (31), que os carros usados em testes práticos para as categorias B, C, D e E da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) voltarão a ter duplo freio. De acordo com o diretor-presidente do órgão, Charles Ribeiro, os equipamentos deverão estar nos veículos em duas semanas.

Com isso, um avaliador acompanhará os candidatos no teste prático e, se eles perderem o controle dos veículos, o segundo freio poderá ser acionado. Uma mulher que fazia o exame para a primeira habilitação sofreu um acidente no pátio do Detran-PE no Recife esta semana.

Após a colisão, o Sindicato dos Servidores do Detran em Pernambuco reforçou uma denúncia que já fazia há meses: o órgão não cumpre a resolução 168/2004 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran). O artigo 15 prevê que o exame de direção deve ser feito em veículos com duplo comando de freios. "Essa grita dos servidores faz sentido. Eles estão certos", admite Ribeiro.

O SinDetran-PE, no entanto, afirma que é muito difícil que o prazo seja cumprido. "Esses carros que estão no pátio são particulares, têm que passar por vistoria. Além disso, não há uma empresa em Pernambuco com capacidade para implantar em todos os veículos e ainda legalizar os documentos", afirma o presidente da entidade, Alexandre Bulhões. Há 100 veículos de categoria B, mais dois ônibus e duas carretas.

O sindicato prevê ainda que a medida não vai ser cumprida devido à falta de avaliadores. "Existe déficit de servidores no pátio e se for acompanhar cada exame por dois examinadores vai não atende a demanda das autoescolas. Por isso, fazem vários exames ao mesmo tempo sem cumprir a resolução", explica Bulhões.

De acordo com Ribeiro, o equipamento foi retirado dos carros em 2013, após uma operação da Polícia Federal que prendeu mais de 10 servidores por corrupção. "Foi descoberto um esquema entre os avaliadores e dos donos de autoescolas. No teste, eles dirigiam os veículos através do duplo comando para que o aluno não errasse a prova", conta o gestor. O sindicato, entretanto, afirma que a medida não foi por causa dessa ação policial. "Essas prisões foram um fato isolado", afirma Bulhões.

Para coibir novos casos de corrupção, o Detran-PE vai instalar câmeras de vídeo e gravação de áudio, aumentando a fiscalização. Porém, uma licitação para a compra desses equipamentos ainda será feita, o que deve adiar em meses a instalação deles. "No período, vamos fazer uma campanha contra a corrupção e contar com o usuário para denunciar se forem abordados", afirma o diretor-presidente do órgão.

Os veículos usados no teste já têm câmeras, mas só para registrar o comportamento dos candidatos. Ribeiro relata que a mulher que sofreu o acidente, por exemplo, ao entrar no carro, já dizia: "Ai, meu Deus, eu estou tão nervosa!". O sistema de monitoramento é de uma empresa terceirizada, que também implantará o duplo comando de freio em valor já incluído no contrato atual.

Mais lidas