MEMÓRIA

Primeiro título de Guga em Roland Garros completa 15 anos

Publicado em 08/06/2012, às 05h01 | Atualizado em 21/07/2014, às 23h10

Por Thiago WagnerDo NE10

Há exatos 15 anos, o Brasil entrava no cenário do tênis mundial. Foi no dia 8 de junho de 1997, em Paris, na França, que um tenista franzino, de roupas coloridas e sem muita expressão no ranking da ATP vencia um dos quatro maiores torneios do tênis desbancando uma série de favoritos. Há 15 anos, Gustavo Kuerten, o Guga, vencia o primeiro Roland Garros de sua vitoriosa história.

Com 20 anos na época da conquista, Guga nunca imaginaria que aquele título seria apenas o primeiro de grandes conquistas na carreira. Na verdade, Kuerten nem sabia muito bem como funcionava o torneio. 'Eu entrei em Roland Garros sem ter noção alguma do torneio, sem entender o Grand Slam e acho que isso me ajudou muito. Jamais eu poderia imaginar o que representariam todos esses títulos', disse Guga para a reportagem do NE10.

A inocência de Guga pode ser traduzida não só pela sua idade, mas também pelos seus resultados. Guga nunca havia conquistado nenhum torneio do nível ATP antes de Roland Garros. Ele só havia vencido dois torneios do nível Challenger no Brasil. Com pouco mais de dois anos de profissional, Guga ainda era um 'novato' no meio das feras.

E essas feras não eram poucas. O tênis da época era diferente do atual. Não existia um único atleta dominando determinado piso. Nomes como austríaco Thomas Muster, o russo Yevgeni Kafelnikov e o espanhol Sergi Bruguera eram bastante temidos no saibro, tipo de piso de Roland Garros. Os três já haviam vencido em Paris e já ocupavam posições de destaque no ranking mundial.

Quis o destino que durante a jornada para o título, Guga enfrentasse justamente os três. No entanto, antes de encontrar os tops, Guga teria pela frente o tcheco Slava Dosedel e o sueco Jonas Bjorkman. Foram duas vitórias, por 3 sets a 0 e 3 a 1 respectivamente.

Na terceira rodada do Grand Slam francês, o temível encontro com o austríaco Thomas Muster, ex-número um do mundo e campeão de Roland Garros em 1995. Como esperado, um jogo difícil. Foram cinco sets. No final, vitória do brasileiro por 3 a 2 e menos um grande rival pelo caminho.

As oitavas de finais vieram e mais uma pedreira pelo caminho. Era o ucraniano Andrei Medvedev, ex-número quatro do mundo. Mais uma vez Guga levou a partida para a batalha de cinco sets e mais uma vez saiu vencedor por 3 a 2. O garoto franzino de Santa Catarina já despertava a atenção dos franceses.

Nas quartas de finais, o atual campeão Yevgney Kafelnikov. Era o primeiro jogo de Guga na quadra principal do torneio, a Philippe Chatrier. A partida foi complicada como previsto, Kuerten venceu o primeiro set, mas perdeu os dois seguintes. A vitória foi de virada em mais uma batalha de cinco sets. Era o momento de sonhar com o título. 'A nossa expectativa em Roland Garros era ganhar um ou dois jogo, no máximo. Esse resultado para gente já seria excelente, mas fui ganhando todos os jogos. Depois de vencer o Kafelnikov, tive certeza que seria campeão', afirmou Guga

Nas semis, um adversário mais modesto, o belga Filip Dewulf, então número 122 do mundo. Com a confiança de eliminar dois ex-campeões, Guga venceu por 3 a 1 e carimbou o passaporte para a primeira final de um brasileiro em Roland Garros.

O espanhol Sergi Bruguera seria o adversário. Bruguera já havia sido bicampeão na França em 93 e 94. Parecia o fim do jovem Guga. Porém, o que se desenhava como um quadro complicado, acabou por ser um dos jogos mais fáceis de Guga no torneio. Um 3 a 0 sem grandes desencontros e Gustavo Kuerten levantava pela primeira vez o troféu Roland Garros. Troféu esse que seria erguido mais duas vezes, em 2000 e em 2001. Com Guga, o tênis deixou de ser visto apenas como esporte de rico para ser mais um esporte como qualquer outro. Passamos a ser também o país das raquetes, as raquetes de Gustavo Kuerten, que de número 66 do mundo passaria a ser o número um no coração do Brasil.

PALAVRAS-CHAVE:

COMENTE ESTA MATÉRIA

Nome:
E-mail
Mensagem

O comentário é de total responsabilidade do internauta que o inseriu. O NE10 reserva-se o direito de não publicar mensagens com palavras de baixo calão, publicidade, calúnia, injúria, difamação ou qualquer conduta que possa ser considerada criminosa.

Vitrine NE10
Vitrine NE10
Fechar vídeo