sertão

Santa dá espaço ao Salgueiro e perde por 2x0

Publicado em 18/01/2012, às 21h51 | Atualizado em 22/07/2014, às 13h30

Do NE10

O Santa Cruz sofreu com a falta de criatividade e conheceu sua primeira derrota no Pernambucano Coca-Cola 2012. O atual campeão estadual foi ao sertão e terminou como coadjuvante da festa do Salgueiro na reinauguração do estádio Cornélio de Barros ao perder por 2x0. Na próxima rodada, os corais terão pela frente o Serra Talhada, líder da competição. O Carcará vai a Paulista enfrentar o América.

O técnico Zé Teodoro preferiu a prudência ao escalar o zagueiro Éverton Sena e preterindo o volante Leo. Apesar de a marcação ficar, na teoria, mais forte, a escolha deu mais campo para o Salgueiro trabalhar e consequentemente manteve o tricolor mais distante do gol sertanejo.

Para completar, o Carcará manteve uma marcação mais forte em Weslley, único meia de origem, o que ajudou a prejudicar a armação das jogadas corais. Assim, foi o time da casa a criar a primeira boa chance. Aos cinco minutos, Vítor Caicó chutou de longe e Tiago Cardos fez boa defesa. A pressão continuou em cabeçadas para fora de Luiz Eduardo e Fabrício Ceará.

O que atrapalhava o Salgueiro era a opção do time em insistir nas jogadas pelo meio. Tanto que a primeira boa jogada pelo lado só aconteceu aos 26, quando Tamandaré fugiu pela direita e cruzou. Mas Éverton Sena estava atento e cortou. Coincidentemente, os laterais poderiam ser a válvula de escape dos campeões pernambucanos, já que o meio sofria crise criativa. Porém, tanto Renatinho quanto Eduardo Arroz não conseguiam evoluir.

De tanto insistir na bola alta o time da casa terminou vencendo pela canseira. Aos 34 minutos Peri bateu falta na área. Fabrício Ceará estava bem posicionado no meio da defesa coral e cabeceou sem chance de defesa para Tiago Cardoso. O Santa não fez nada digno da palavra reação. O técnico Zé Teodoro pedia o tempo todo para a equipe tocar a bola mas com um jogador menos técnico, Éverton Sena, no lugar de um meia de origem e com seu maestro (Weslley) bem marcado ficou difícil.

Era lógica uma mudança no setor de criação tricolor na volta para o segundo tempo. E assim foi feito. Natan voltou no lugar de Éverton Sena. Mas foi o Salgueiro quem alterou a história da partida logo no início. Aos três minutos Elvis bateu falta e o goleiro tricolor só pôde olhar a bola entrar sem mais nada a fazer.

Desta vez os visitantes não aceitaram o gol adversário com tanta passividade. O problema, para o Santa, é que o Salgueiro marcava com muita disciplina e, embora o toque de bola melhorasse não havia oportunidade de finalizar. Assim, o técnico Zé Teodoro tentou dar mais velocidade com a entrada de Jefferson Maranhão no lugar de Eduardo Arroz. Weslley ocupou a lateral direita.

E logo em sua primeira participação, Maranhão quase diminui o prejuízo. Depois de bate-rebate na área ele chutou raspando a trave. A postura mais ofensiva do Santa Cruz fez com que o Salgueiro usasse a arma que o adversário empunhou mas não disparou no primeiro tempo: o contra-ataque. No primeiro deles, aos 23, Clebson acertou a trave. No segundo, a zaga afastou para escanteio.

A situação piorou para o time da Capital aos 28. Leandro Souza agarrou Fabrício Ceará, repetindo a mesma infração que lhe rendeu cartão amarelo no início do segundo tempo. O árbitro Ricardo Tavares repetiu a advertência. Só que o segundo amarelo rende o vermelho e o defensor, que fazia sua estreia em 2012, foi embora mais cedo.

Era o balde de água fria para arrefecer qualquer esboço de reação tricolor. O time precisou recuar seus volantes para dar mais cobertura à zaga e os dois setores - meio e ataque - ficaram mais distantes. O Salgueiro passou a administrar o resultado e esperar o final da partida.

Ficha do jogo:

Salgueiro: Luciano; Marcos Tamandaré, Luiz Eduardo, Alemão e Peri (Romário); Pio, Josa, Vitor Caicó (Tinho) e Clebson; Elvis (Edmar) e Fabrício Ceará. Técnico: Neco.

Santa Cruz: Tiago Cardoso; Eduardo Arroz (Jefferson Maranhão), Leandro Souza, André Oliveira e Renatinho; Chicão, Memo, Éverton Sena (Natan) e Weslley; Branquinho e Flávio Recife. Técnico: Zé Teodoro.

Local: Estádio Cornélio de Barros, em Salgueiro. Árbitro: Ricardo Tavares. Assistentes: Ubirajara Ferraz e Alcides Lira. Gols: Fabrício Ceará, aos 34 do primeiro tempo. Elvis, aos três .Cartões amarelos: Pio e Weslley. Expulsão: Leandro Souza. Renda: R$ 15.990. Público: 8.158.

PALAVRAS-CHAVE:

COMENTE ESTA MATÉRIA

Nome:
E-mail
Mensagem

O comentário é de total responsabilidade do internauta que o inseriu. O NE10 reserva-se o direito de não publicar mensagens com palavras de baixo calão, publicidade, calúnia, injúria, difamação ou qualquer conduta que possa ser considerada criminosa.

Vitrine NE10
Fechar vídeo