Eleição tricolor

Edinho faz história no Santa Cruz

Publicado no JC em 02.12.2006

Delegado vence o pleito contra chapa de situação e se torna o primeiro opositor que chega ao cargo de presidente do clube. Diferença foi de 57 votos

Em uma eleição histórica, o delegado Édson Domingues Nogueira, 62 anos, da chapa Credibilidade e Competência, foi eleito, ontem, o novo presidente do Santa Cruz. Foi a primeira vez que um grupo de oposição venceu uma eleição no clube. Edinho derrotou o candidato da situação, o advogado e administrador de empresas Alberto Lisboa, 42, da chapa Santa Renovação, por 731 votos a 674, uma diferença de apenas 57 votos. Ao todo, 2.860 sócios estavam aptos a votar, segundo a atual diretoria. Edinho, que após a vitória subiu o Morro da Conceição, ao lado do ex-presidente Mirinda, para pagar uma promessa, será referendado, ao lado do seu vice, Fred Arruda, como novo mandatário, sábado, pelo novo presidente do Conselho Deliberativo, Alexandre Ferrer.

Poucas horas antes do anúncio oficial da vitória, Edinho revelou o nome do novo treinador do Santa Cruz, o veterano Evaristo de Macedo, 73 anos, que já passou pelo tricolor na década de 1970. No futebol pernambucano, Evaristo conquistou os títulos estaduais de 1972, 1978, 1979 (pelo Santa) e 1980 (pelo Sport). O treinador chega ao Recife na segunda-feira. Na diretoria de futebol, voltam nomes como Sylvio Belém, Fred Carvalho, Rosemberg Rafael e Nilton César. “O presidente não sou eu, o presidente é o povo”, disse Edinho, agradecendo o grande apoio popular que teve durante todo o período de campanha. “Me cobrem porque eu vou cobrar de vocês também”, completou, nos braços dos seus eleitores, que fizeram a festa na sede social.

O novo presidente também prometeu, como uma das suas primeiras medidas, mudar o estatuto, cuja última reformulação foi feita em 2000. “Hoje foi contra mim, amanhã a vítima pode ser outra pessoa. Quero credibilidade e transparência na minha administração”, disse Edinho, fazendo alusão ao nome da chapa opositora.

Pelo lado perdedor, Alberto Lisboa reconheceu a derrota após a apuração da penúltima urna (foram 11 no total). Ele fez questão de cumprimentar Edinho, ao final da apuração. “A derrota se deveu à campanha do futebol este ano”, disse. “Não separaram as minhas propostas do que está sendo feito pela atual diretoria”, completou Lisboa, pouco antes de receber um abraço de Edinho. “Espero que a torcida respeite a chapa perdedora. Todos são tão tricolores como nós”, encerrou o eleito. Já Romero Jatobá, acompanhado do presidente do Conselho José Neves, saiu do Arruda de fininho, sem cumprimentar Edinho e nem Lisboa. É o fim do Santa 10, um projeto de poder implantado pela dupla, que pretendia ficar no clube até o seu centenário em 2014.

PALAVRAS-CHAVE:

COMENTE ESTA MATÉRIA

Nome:
E-mail
Mensagem

O comentário é de total responsabilidade do internauta que o inseriu. O NE10 reserva-se o direito de não publicar mensagens com palavras de baixo calão, publicidade, calúnia, injúria, difamação ou qualquer conduta que possa ser considerada criminosa.


Vitrine NE10
Fechar vídeo