FORTALEZA

Candidatos à Prefeitura de Fortaleza se limitam a apresentar propostas

Publicado em 02/08/2012, às 23h47 | Atualizado em 21/07/2014, às 17h10

Leonardo HefferDo NE10/CE

Atualizado em 03.08.2012, às 02h22

Clima de tranquilidade, sem polêmicas ou trocas de farpas. Assim terminou o primeiro debate realizado pela TV Jangadeiro, afiliada a Bandeirantes, nesta quinta-feira (2), em Fortaleza. Com mais de duas horas de programa, os oito candidatos que se fizeram presentes se limitaram a questionar entre si propostas concretas para os próximos quatro anos de quem assumir prefeitura da capital cearense.

Fizeram parte do debate: Elmano de Freitas (PT), Heitor Ferrer (PDT), Inácio Arruda (PC do B), Marcos Cals (PSDB), Moroni Torgan (DEM), Renato Roseno (PSOL), Roberto Cláudio (PSB) e Valdeci Cunha (PRTB). André Cunha (PPL) e Francisco Gonzaga (PSTU), que não possuem representação na Câmara Federal, não participaram do debate.

"Foi um grande momento de colocar propostas, mostrar história dos candidatos. Acho que tivemos um diálogo bom, o que mostra que tivemos uma civilidade também no nosso debate", afirmou o candidato do PC do B, atualmente senador Inácio Arruda.

O candidato do Psol, Renato Roseno, já acreditava que no debate não houve uma apresentação de prpostas reais para a cidade de Fortaleza. "Tem um certo roteiro que já está se tornando repetitivo e até enfadonho que é criar que parecem milagrosas para termos complexos. Não é só apresentar uma bandeira para efeito publicitário, como um produto, mas sim pensar como fazer", disse.

Roberto Cláudio, do PSB, candidato que tem apoio do governador do Ceará, Cid Gomes, viu o debate de forma demócratica. "A população teve opção de ouvir propostas diferentes de problemas comuns e é para isso que serve um debate democrático. Aqui e acolá candidatos trataram de ideias diferentes para o mesmo problema, mas respeitando um ao outro, mesmo que discordando das ideias".

LEIA MAIS:

» Clima de tranquilidade marca chegada de prefeituráveis ao debate da TV Jangadeiro

PROPOSTAS - Durante o debate cada candidato pode expor algumas de suas propostas para a capital. Elmano de Freitas, candidato apoiado pela prefeita Luizianne Lins,  apresentou a extensão da tarifa social nos ônibus para os sábados (hoje, em Fortaleza, aos domingos, a passagem cai de R$ 2,00 para R$ 1,40), além da passagem gratuita para desempregados, e defendeu as ações e obras pela atual gestão da prefeitura.

Heitor Férrer, do PDT, defendeu a bandeira do combate a violência na capital, além de ações para combate do uso da droga por jovens. Entre outros pontos, ele também defendeu a melhoria no sistema de saúde público, com criação de novos postos de saúde e a construção de um segundo hospital de urgência e emergência, ao qual chamou de "IJF 2" (Instituto Dr. José Frota, hospital que já existe na capital)

Inácio Arruda (PC do B) defendeu a integração dos transportes. A ideia é ampliar a integração entre ônibus, vans, metro, e aumentar para a Região Metropolitana de Fortaleza, garantindo ao cidadão o direito de com uma passagem se locomover para os municípios vizinhos da capital.

Marcos Cals defendeu projetos na área da educação. Entre eles fazer com que as indicações para cargos de diretores e coordenadores em escolas públicas não sejam mais por meios políticos. Além disso, a construção de quadras esportivas e laboratórios, ampliando as chances dos alunos de chegarem ao mercado de trabalho com maior conhecimento.

O candidato do DEM, Moroni Torgan voltou a falar sobre segurança e combate a criminalidade na capital. Ele afirmou que tem proposta para a construção de centro de tratamento para viciados em drogas além de ações na área da saúde pública que sirvam como redutor do ingressos destes jovens no mundo das drogas.

Renato Roseno do Psol defendeu melhores condições de trabalhos para os ambulantes do centro, evitando assim os camelôs. Ele também defendeu uma gestão mais transparente e próxima do fortalezense.

Roberto Cláudio (PSB) defendeu a aceleração das obras para a Copa 2014 principalmente no que diz respeito a mobilidade urbana. Ele também levantou a bandeira de mudanças na área da saúpde e da educação.

Já Valdeci Cunha (PRTB) manteve a proposta de geração de empregos e urbanidade, dando condições mais dignas aos fortalezenses.

FARPAS - Somente no terceiro bloco do debate é que as primeiras farpas começaram a ser trocadas. O candidato Moroni Torgan voltou a ser atacado por sua ausência de Fortaleza nos últimos três anos e seu retorno apenas para assumir a candidatura. Outro candidato que foi bastante citado foi Elmano de Freitas, do PT, candidato apoiado pela atual prefeita de Fortaleza, Luizianne Lins. Entre as citações dos candidatos estava o uso do nome da presidente Dilma na campanha como madrinha. Em resposta, o candidato do PT se limitou apenas responder que sua campanha será baseada na continuidade do trabalho realizado pela prefeita.

PALAVRAS-CHAVE:

COMENTE ESTA MATÉRIA

Nome:
E-mail
Mensagem

O comentário é de total responsabilidade do internauta que o inseriu. O NE10 reserva-se o direito de não publicar mensagens com palavras de baixo calão, publicidade, calúnia, injúria, difamação ou qualquer conduta que possa ser considerada criminosa.

Vitrine NE10
Fechar vídeo