Ceará

Universidade Federal do Ceará reconhece greve dos professores e tenta negociação

Ne10
Ne10
Publicado em 13/06/2012 às 16:44
Leitura:

A reitoria da Universidade Federal do Ceará (UFC) reconheceu nesta quarta-feira, por meio de nota, a greve dos professores da instituição e se colocou à disposição para negociações com a categoria.

De acordo com o texto, a prioridade da UFC é reduzir ao mínimo os prejuízos aos alunos e funcionários que integram a universidade. Ainda segundo a nota, a reitoria menciona que nos últimos 10 anos houve crescimentos acelerados nas condições de trabalho e abertura de novas unidades acadêmicas, além de melhorias na infraestrutura.

A greve dos professores das federais no Ceará, incluindo também a Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab), foi aprovada em assembleia na segunda-feira (11) e homologada ainda na terça (12).

A movimentação segue uma recomendação da Federação de Sindicatos de Professores e Instituições Federais de Ensino Superios (Proifes). Os sindicatos ligados a ela eram os únicos que ainda não haviam paralisado no País. Até o dia 15 de junho, as universidades ligadas ao Proifes farão seus plebiscitos para definir ou não a paralisação em cada estado.

Entre as reivindicações está plano de carreira com incorporação de gratificações em 13 níveis de remuneração; variação de 5% entre níveis a partir do piso para carga horária de 20 horas correspondente ao salário mínimo calculado pelo Dieese, de R$ 2.329,35; além de acréscimos relativos à titulação e ao regime de trabalho.

Mais lidas