movimento

Professores da rede privada decretam greve. Paralisação deve começar na quarta

Publicado em 31/05/2011, às 19h01 | Atualizado em 29/07/2014, às 18h21

Do NE10

Em assembleia realizada na tarde desta terça-feira (31), os professores da rede privada de ensino decidiram continuar em campanha e decretar greve. A partir de agora, a categoria, que possui 45 mil profissionais, irá aguardar o retorno dos donos das escolas particulares, que deverá ser dado em no máximo três dias. Caso não haja a negociação, a greve será deflagrada na assembleia marcada já para o próximo dia 08 de junho, às 9h.

A assembleia ocorreu  na sede do Sindicato dos Professores no Estado de Pernambuco (Sinpro PE), no bairro de Santo Amaro, no Recife. No último dia 20 de maio, os professores já haviam aprovado estado de greve.

REIVINDICAÇÕES - Em campanha salarial, os professores aprovaram a pauta de negociações que reivindica, principalmente, o piso salarial de R$ 10 por hora de aula (atualmente é pago entre R$ 4,43 e R$ 5,82), melhores condições de trabalho, educação continuada, o cumprimento das bolsas de estudos para os filhos.

O último reajuste recebido foi de 3%. Com ele, a hora da aula de um professor de ensino médio, por exemplo, subiu de R$ 5,39 para R$ 5,82, acréscimo considerado irrisório pelos professores.

PALAVRAS-CHAVE:

COMENTE ESTA MATÉRIA

Nome:
E-mail
Mensagem

O comentário é de total responsabilidade do internauta que o inseriu. O NE10 reserva-se o direito de não publicar mensagens com palavras de baixo calão, publicidade, calúnia, injúria, difamação ou qualquer conduta que possa ser considerada criminosa.

Vitrine NE10
Fechar vídeo