RH Positivo

Equipes eficazes: gestão de equipes com foco no resultado organizacional

Publicado em 16/06/2017, às 17h07 | Atualizado em 16/06/2017, às 17h42

Por Cátia Maciel

Comunicação deficiente e a falta de valorização das pessoas são alguns dos fatores que precisam ser superados / Foto: Pixabay

Comunicação deficiente e a falta de valorização das pessoas são alguns dos fatores que precisam ser superados Foto: Pixabay

As empresas dependem de resultados expressivos para que sejam competitivas no mercado. Para alcançar os objetivos é importante a construção de equipes eficientes e eficazes, que realizem a troca de conhecimentos e a soma das suas habilidades distintas.

Mas será que estamos preparados para trabalhar bem em equipe? Infelizmente muitas pessoas ainda valorizam os méritos individuais... Então, a pergunta é: somos capazes de gerar efetivas melhorias nos trabalhos e superar as dificuldades sozinhos?

Os conflitos podem prejudicar a produtividade da equipe, a comunicação deficiente e a falta de valorização das pessoas são alguns dos fatores que precisam ser superados. A estratégia é formar equipes coesas que trabalhem por objetivos comuns, Robbins (2009, p.278) ressalta que para desempenhar bem como membros de equipe, o profissional precisa ser capaz de comunicar-se de maneira franca e honesta; dar conta das diferenças, resolver conflitos e trabalhar a favor da equipe.

Como desenvolver equipes eficazes

Os gestores que desenvolvem equipes eficazes dão autonomia para que seus colaboradores trabalhem com autogestão, assim podem conquistar resultados satisfatórios. A gestão de pessoas passa a ser atividade de todos os membros da empresa, visto que, cada profissional tem responsabilidades sobre seu comportamento e sobre a forma como se relacionam com as pessoas.



As equipes mais preparadas coordenam suas atividades e as relações de maneira proativa, solucionando as questões. É preciso promover as transformações internas nas empresas para que estas melhorias se reflitam na satisfação do cliente e no alcance dos resultados organizacionais.

REFERÊNCIAS:
CARVALHO, Fábio C. A. de. Gestão do conhecimento. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2012.
CHIAVENATO, Idalberto. Gerenciando com as pessoas. 9. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2005.
ROBBINS, Stephen P. Comportamento organizacional. 11. ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2009.
ROBBINS, Stephen P. Administração: Mudanças e perspectivas. 11. ed. São Paulo: Saraiva, 2009.

* Cátia Maciel é consultora e professora, especialista em Gestão de Negócios e Gestão do Capital Intelectual, além de membro do núcleo da ABRH-PE em Caruaru.


*As colunas assinadas não refletem, necessariamente, a opinião do NE10

PALAVRAS-CHAVE: difusão notícias equipes

RH Positivo ABRH-PE Esta coluna é uma parceria com a Associação Brasileira de Recursos Humanos em Pernambuco (ABRH-PE). abrhpe@abrhpe.com.br

Continue Lendo

COMENTE ESTA MATÉRIA

Nome:
E-mail
Mensagem

O comentário é de total responsabilidade do internauta que o inseriu. O NE10 reserva-se o direito de não publicar mensagens com palavras de baixo calão, publicidade, calúnia, injúria, difamação ou qualquer conduta que possa ser considerada criminosa.

Vitrine NE10
Vitrine NE10
Fechar vídeo