Questão de Pele

Plataforma vibratória: uma nova arma contra a celulite

Publicado em 05/01/2009, às 15h03

Infelizmente ainda não é possível acabar com a celulite com um único aparelho ou tratamento como num passe de mágica! No entanto, a cada dia que passa, surgem novas tecnologias para atingirmos resultados mais satisfatórios e mais rápidos no combate a esse fantasma que atinge 99% das mulheres.

Um exemplo disto é a plataforma vibratória (PhysioPlate), um equipamento  tecnologicamente bastante avançado que não só é capaz de melhorar a celulite, como também pode produzir benefícios para o organismo como um todo. Uma novidade nos tratamentos cosmiátricos, a plataforma acaba de chegar ao Recife como mais um recurso no combate à celulite, à flacidez e à gordura localizada.

Apesar de hoje ser um sucesso para o tratamento corporal, a plataforma vibratória veio da antiga União Soviética. Foi criada para combater a perda óssea durante a permanência dos astronautas no espaço. De lá para cá, essa técnica foi aperfeiçoada e já é empregada na medicina para o tratamento e prevenção de várias patologias como a osteoporose, a artrose e a esclerose múltipla.

Assim como ocorreu com a toxina botulínica, usada inicialmente apenas com finalidade terapêutica, a plataforma vibratória já tem sua indicação bem estabelecida na medicina cosmiátrica e apresenta-se como mais uma "arma" na guerra por um corpo bonito e saudável.

São apenas 12 minutos de tratamento por cada sessão, em que a vibração produzida por esse equipamento é capaz de estimular os sistemas músculo-esquelético, cardiovascular e hormonal. Com isso, haverá uma maior contração e, portanto, melhora do tônus muscular, ativação da circulação central e periférica e um aumento do aporte de nutrientes e oxigênio para os todos os órgãos, inclusive para a pele.

Além disso, a contração rítmica dos músculos, associada à massagem vibratória, facilita a drenagem linfática tecidual. Também já está comprovado cientificamente que temos um aumento do hormônio do crescimento (GH) em até 460 vezes durante o tratamento, o que favorece, por um lado, o consumo calórico do organismo e, por outro, aumenta em muito a produção de colágeno na pele, o que a deixa com um tônus mais firme. Em última análise, favorece ainda mais a melhora do aspecto da celulite como um todo.

O PhysioPlate deve ser realizado entre 2 a 3 vezes por semana inicialmente, em geral em séries de 12 sessões, associado ou não a outras técnicas como a endermologia, o ultra-som e/ou a carboxiterapia. Já durante essa primeira fase do tratamento, o
paciente notará uma melhora bastante significativa da celulite. Após obter o resultado desejado, é importante fazer sessões mais esparsas de manutenção.

Os melhores e mais rápidos resultados são notados nos pacientes que têm uma dieta balanceada e, principalmente, naqueles que praticam exercícios físicos regulares. No entanto o PhysioPlate também pode ser utilizado em pessoas sedentárias e até por pacientes da terceira idade, onde notamos uma melhora do equilíbrio e um incremento da densidade óssea.

Assim como qualquer tratamento, para que o PhysioPlate possa produzir os seus melhores efeitos e resultados, a sua utilização deve ser sempre orientada por um dermatologista capacitado, e cada sessão, supervisionada de perto por um fisioterapeuta dermato-funcional, esse também devidamente capacitado. Esta associação sinérgica vai garantir o sucesso do tratamento!

E-mail: clinica@claudiamagalhaes.com

*As colunas assinadas não refletem, necessariamente, a opinião do JC OnLine

*As colunas assinadas não refletem, necessariamente, a opinião do NE10

PALAVRAS-CHAVE:

Questão de pele Cláudia Magalhães Formada pela Unicamp, onde fez residência médica, é especialista em dermatologia pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD). É membro efetivo da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica (SBCD) e Fellow da Sociedade Americana de Dermatologia (AAD) e da Sociedade Americana de Laser (ASMLS). recepcao.claudiamagalhaes@gmail.com

COMENTE ESTA MATÉRIA

Nome:
E-mail
Mensagem

O comentário é de total responsabilidade do internauta que o inseriu. O NE10 reserva-se o direito de não publicar mensagens com palavras de baixo calão, publicidade, calúnia, injúria, difamação ou qualquer conduta que possa ser considerada criminosa.