polícia

Amantes do médico morto em Palmares são acusados pelo assassinato

Publicado em 24/08/2012, às 10h26 | Atualizado em 21/07/2014, às 14h50

Do NE10ATUALIZADA ÀS 11H30

Três dos quatro presos acusados pelo assassinato do médico Maviael Menezes de Almeida, morto em Palmares, na Zona da Mata de Pernambuco, no dia 29 de junho, eram amantes da vítima, segundo a polícia. Informações sobre o crime foram divulgadas na manhã desta sexta-feira (24), em apresentação da conclusão do inquérito policial.

LEIA MAIS
» Médico Maviael Menezes, filho de ex-deputado, é assassinado no Interior


José Laudiano do Nascimento, conhecido como Nando, de 19 anos, e José Antônio da Silva Neto, também chamado de Neto, 19, confessaram que esfaquearam o médico. De acordo com o delegado Franklin Soriano, as investigações apontaram que Neto começou a desferir as facadas e Neto foi responsável pelo golpe fatal, no pescoço. Ambos afirmaram, no dia 17 de julho, quando se apresentaram à polícia pela primeira vez, que mataram Maviael devido a uma briga.

A confusão teria acontecido na casa da família do médico em Boa Viagem, na Zona Sul do Recife, no dia anterior ao assassinato, na casa de Palmares. A Polícia Civil concluiu que o homicídio já havia sido planejado e a festa foi uma forma de o atrair para casa. Para o delegado, a motivação do assassinato são dois seguros de vida no nome de um amante e funcionário da vítima, Antônio Agostinho Alves Muniz Filho, 24, que teria prometido uma recompensa de R$ 5 mil a cada um dos participantes, incluindo o último acusado, Edinaldo dos Santos Brandão, o Naldinho.

» Veja o vídeo em que o delegado explica em mais detalhes a motivação do crime:

Os quatro foram autuados por homicídio duplamente qualificado. Neto, Nando e Naldinho estão no Presídio Romerildo da Rocha Leão, em Palmares. Já Antônio, que era policial militar em Alagoas, está no Centro de Reeducação da Polícia Militar (Creed), em Paulista, no Grande Recife. Nenhum deles tinha antecedentes criminais.

O CRIME - As investigações indicaram que o médico foi assassinado por volta das 3h da madrugada. Uma hora depois, um vizinho afirmou que viu o carro da vítima, um Toyota hYLUZ, saindo da garagem. No carro, Maviael já estava morto.

Pelas informações do GPS, a polícia descobriu que o veículo parou na ponte onde o corpo foi encontrado, no município de Barreiros, também na Zona da Mata, às 5h. Segundo o delegado, a quarteto acusado deixou o local apenas sete minutos depois.

O carro foi encontrado em Nossa Senhora do Ó, no município de Ipojuca, no Grande Recife. Foi descoberto, ainda através do GPS, que chegaram ao município por volta das 6h, quando teriam lavado a Hylux antes de abandoná-la. No mesmo dia, segundo a polícia, Neto, Nando e Antônio fugiram para Maceió, a capital de Alagoas. Naldinho voltou a Palmares, mas também fugiu no dia 2.

PRISÕES - A prisão de Naldinho já havia sido decretada no dia 12 de julho, mas não foi cumprida. Poucos dias depois, segundo a polícia, ele se encontrou com Neto e Nando e, no dia 17, os dois se entregaram. No dia seguinte, Naldinho também acabou se entregando, afirmando que dirigiu o carro da vítima, mas não sabia que havia um corpo dentro, só descobrindo o fato ao chegar em Barreiros.

A prisão preventiva dos três e de Antônio só foi decretada nessa terça (21) e eles foram presos na quarta-feira (22). Antônio também foi preso, mas usou o álibi de que, no dia do assassinato, estava trabalhando em Alagoas. Segundo a polícia, ele não estava no local do crime, mas foi o mentor de tudo e chegou a pagar os R$ 5 mil prometidos a cada um dos outros acusados.

Mais informações em instantes

PALAVRAS-CHAVE:

COMENTE ESTA MATÉRIA

Nome:
E-mail
Mensagem

O comentário é de total responsabilidade do internauta que o inseriu. O NE10 reserva-se o direito de não publicar mensagens com palavras de baixo calão, publicidade, calúnia, injúria, difamação ou qualquer conduta que possa ser considerada criminosa.

Vitrine NE10
Vitrine NE10
Fechar vídeo