Garanhuns

Mulher que desapareceu com bebê afirma que mãe queria vender o filho

Publicado em 11/04/2013, às 17h10 | Atualizado em 20/07/2014, às 12h35

Do NE10

Edivânia Severino da Silva, suspeita de desaparecer com um bebê em Garanhuns, no Agreste do Estado, afirmou em depoimento nesta quinta-feira (11) que a mãe biológica tentou vender o filho. 'As duas se encontraram em um hotel e Zuleide teria proposto vender o filho por R$ 4 mil', afirmou o delegado Marcos Omena, responsável pelo caso.

LEIA MAIS:
>> Bebê desaparecido de Garanhuns foi recuperado pela Polícia nesta quinta-feira
>> Polícia Civil divulga foto de suspeita de sequestrar bebê em Garanhuns
>> Polícia de Garanhuns investiga desaparecimento de bebê
>> Polícia Civil divulga foto de suspeita de sequestrar bebê em Garanhuns

De acordo com a polícia, Edivânia afirmou que não tinha o dinheiro e que também não compraria o bebê por ser um crime, mas propôs a Zuleide um encontro onde efetivaria o acordo. No dia proposto, Edivânia fugiu com o bebê para União dos Palmares, em Alagoas. Inconformada com o desaparecimento, Zuleide foi à delegacia.

Para o delegado Marcos Omena, a versão contada por Edivânia é mais consistente. 'Zuleide já tem um histórico grande em Canhontinho por não ter zelo com os filhos', explica. Ainda segundo o delegado, a suspeita pretendia se apresentar com o bebê à Polícia Civil de Alagoas, onde estava escondida na casa do ex-marido.

Segundo as investigações, Edivânia não contou com a participação de ninguém na subtração do bebê. Nenhuma das duas - tanto a acusada quanto a mãe biológica - têm passagem pela polícia. As duas estão na 2ª Delegacia de Garanhuns, onde a equipe de investigações analisa por qual crime Edivânia será autuada. A mãe da criança apareceu espontaneamente na delegacia, onde também está sendo ouvida. O tempo de conclusão do inquérito ainda é indeterminado.

O bebê foi levado para exames em um hospital da cidade, passa bem e foi encaminhado para o Conselho Tutelar.

ENTENDA O CASO - A mãe da criança, Zuleide da Conceição, moradora da cidade de Canhotinho, no Agreste, afirmou que conheceu um casal que se ofereceu para ajudá-la a conseguir a licença-maternidade. O casal a levou até Garanhuns, com a criança, onde daria entrada nos documentos.

O grupo se hospedou em um hotel em Garanhuns, no Bairro Heliópolis. O casal deu à mãe do bebê alguns remédios, informando que era para ajudar na realização de exames médicos para ter direito ao benefício.

A vítima afirmou que, após tomar os remédios, ficou dopada e só acordou no meio da noite, sozinha e sem o bebê, que teria sido levado pelo casal. No sábado (6), Zuleide prestou queixa no plantão da delegacia regional de Garanhuns e, na segunda (8), foi à segunda delegacia, responsável pelas investigações.

Edivânia Severino da Silva fugiu com a criança para União dos Palmares, no estado de Alagoas. A suspeita mora na região de Garanhuns estava escondida na casa do ex-marido. A polícia foi até o local, entretanto, não encontrou a mulher. Em uma segunda abordagem, na Zona Rural da cidade de Iguaci, Edivânia também conseguiu fugir em questão de poucas horas. De acordo com informações de testemunhas, ela teria recebido uma ligação e saído correndo assustada com o bebê, acompanhada de seu filho mais velho identificado como 'Leo'. A suspeita não estaria dando de mamar ao recém-nascido e teria procurado outras pessoas para amamentá-lo.

PALAVRAS-CHAVE:

COMENTE ESTA MATÉRIA

Nome:
E-mail
Mensagem

O comentário é de total responsabilidade do internauta que o inseriu. O NE10 reserva-se o direito de não publicar mensagens com palavras de baixo calão, publicidade, calúnia, injúria, difamação ou qualquer conduta que possa ser considerada criminosa.