NE10
Pernambuco - 18.04.14 - Atualizado às 02h27

Futebol // minas

Náutico paga o preço do risco e perde para o Cruzeiro por 3x0

Publicado em 02.09.2012, às 20h24


a8e0e7cf34c1ed67db81c9a5e99edfc3.jpg
Borges abriu o placar para o Cruzeiro
Foto: Carlos Roberto/Hoje em Dia/Futura Press

Do NE10

Quando tentou ser mais ofensivo o Náutico abriu espaço e viu o Cruzeiro fazer 3x0 na noite deste domingo (2), no Independência, em Belo Horizonte. Quem vê apenas o placar pode achar que o time mineiro foi amplamente superior, mas não é verdade. Os azuis aproveitaram a aposta do técnico Alexandre Gallo após o primeiro gol, quando o comandante abriu o meio de campo para arriscar o empate. Em dois contra-ataques o placar foi definido.

O timbu volta a campo na próxima quarta-feira, quando recebe o Vasco, nos Aflitos. A derrota, somada à vitória do Corinthians, fez com que os pernambucanos caíssem da nona para a décima posição.

No papel, o time do Náutico era extremamente preocupado com a defesa. Mas quando a bola começou a rolar os jogadores mostraram que funções importam mais que posições. O time pernambucano literalmente bloqueou o meio de campo e procurou tocar a bola em velocidade para surpreender os mineiros.

A postura timbu obrigou o Cruzeiro a apelar para as bolas longas. O que faltou ofensivamente foi acertar o passe quando estava perto da área. As melhores chances surgiram em cobranças de falta de Souza. Em ambas, o goleiro Fábio mandou para fora.

Já a equipe azul sequer chegava perto de fazer o goleiro Gideão trabalhar. O camisa 1 alvirrubro um espectador privilegiado. A impotência ofensiva dos mandantes era tamanha que o goleiro sequer batia tiros de meta. O primeiro só aconteceu aos 29 minutos, quando Rafael Donato escorou uma cobrança de escanteio para fora.

Na primeira vez que o Cruzeiro conseguiu superar a marcação, Gideão mostrou-se atento. Aos 32, numa tabela rápida, Everton chutou e o goleiro defendeu. No rebote, Borges mandou por cima. Na segunda cobrança de escanteio, mais perigo. Leo apareceu rápido e desviou. A bola passou raspando a trave direita.

Nesta reta final, os mineiros adiantaram um pouco a marcação. Isso 'empurrou' Souza e Martinez mais perto da área e deu espaço para Souza e Everton trabalharem. Por falar no Souza cruzeirense, ele reclamou bastante um pênalti aos 38 minutos. Ao cobrar falta, a bola bateu no braço esquerdo de Martinez, que estava na barreira, dentro da área. O árbitro interpretou como bola na mão e mandou o jogo seguir.

Nos cinco minutos finais, o Cruzeiro conseguiu jogar no campo do Náutico mas sem criar oportunidades claras de gol.

Os dois times voltaram para o segundo tempo sem alterações, mas com os posicionamentos do final da etapa anterior. O Cruzeiro tentando marcar a saída de bola e o Náutico preso em seu campo mas sem deixar o adversário bombardear. O bola parecia presa entre o setor de meio de campo e a intermediária do Náutico.

Preocupado porque o time não conseguia sair da defesa, o técnico Alexandre Gallo mexeu nos setores de armação e ofensivo. Rogerinho entrou no lugar de Lúcio e Kim no posto de Araújo. Já Celso Roth quis seu time mais afoito e mandou Wellington Paulista no posto de Charles, que saiu machucado.

Apesar disso o jogo continuou truncado e feio, com muitas trombadas, quedas e faltas. O lance mais perigoso ilustra bem o que se via. Aos 19 minutos, Borges dominou a bola no meio de três marcadores do Náutico. Aos trancos e barrancos ele foi ganhando até chutar fraco, fácil para a defesa de Gideão.

A resposta alvirrubra veio dois minutos depois num lance em que o egoísmo poderia ter ajudado o lateral João Paulo. Ele recebeu de Kim e entrou pelo lado esquerda da área sem marcação. Ao invés de chutar, cruzou para o meio. A bola foi forte demais e ninguém aproveitou.

A partir dos 20 minutos, o Cruzeiro acertou o passe e começou a incomodar a meta alvirrubra. A situação piorou de vez para o Náutico com a entrada do aceso Élber no lugar do apagado Wallyson. Quase como o atingo ponta-direita, o jogador construiu as melhores joagdas até sofre uma falta aos 29.

Everton foi para a cobrança e mandou na área. Ronaldo Alves tentou afastar de cabeça mas a bola bateu num jogador do Cruzeiro e foi na medida para Borges, também de cabeça, mandar para as redes. Sem ter outra alternativa, Gallo deixou o time mais ofensivo com a saída do volante Dadá e a entrada do atacante Romero.

E foi Romero o arquiteto do quase-gol-de-empate. Aos 35 ele fez jogada individual pela esquerda e rolou para Kim. O atacante tentou de letra e a bola passou raspando a trave esquerda. A nova postura do Náutico deixou o meio de campo mais aberto, o que dava margem ao contra-ataque.

Ele, o contra-ataque, foi mortal aos 41. Éverton fugiu pela esquerda e rolou para Leandro Guerreiro. Ele viu a chegada de Élber e fez o passe. O garoto ajeitou e bateu forte, no ângulo esquerdo. O rombo defensivo do Náutico era tudo que os donos da casa esperavam. Quatro minutos depois foi a vez de Tinga cair pela direita e cruzar rasteiro. Wellington Paulista fechou pelo meio apenas com Jean Rolt o perseguindo e mandou no contrapé de Gideão: 3x0. A equipe azul poderia ter feito mais um com Sandro Silva, que chutou prensado.

Depois do jogo terminado, o atacante Kim reclamou com o árbitro e terminou expulso.

Ficha do jogo:

Cruzeiro: Fábio; Léo, Mateus, Rafael Donato e Everton; Leandro Guerreiro, Charles (Wellington Paulista), Tinga e Souza; Borges (Sandro Silva) e Wallyson (Élber). Técnico: Celso Roth

Náutico: Gideão; Ronaldo Alves, Jean Rolt e Alemão; Patric, Dadá (Romero), Martinez, Souza, Lúcio (Rogerinho) e João Paulo; Araújo (Kim). Técnico: Alexandre Gallo
 
Local: Estádio Independência, Belo Horizonete/MG. Árbitro: Elmo Alves Resende Cunha (GO) Assistentes: Cristhian Passos Sorence (GO) e Ediney Guerreiro Mascarenhas (RJ). Gols: Borges, aos 29; Élber, aos 41; e Wellington Paulista, aos 45 do segundo tempo. Cartões amarelos: Élber, Rafael Donato, Jean Rolt, Martinez e Patric. Expulsão: Kim.

Compartilhe essa notícia

DIGG NEWSVINE STUMBLE WINDOWS LIVE GOOGLE FACEBOOK MYSPACE
Comente esta matéria
validador 

Cadastre-se! Esqueceu a senha? O comentário é de total responsabilidade do internauta que o inseriu. O NE10 reserva-se o direito de não publicar mensagens com palavras de baixo calão, publicidade, calúnia, injúria, difamação ou qualquer conduta que possa ser considerada criminosa. Para participar, é preciso ser cadastrado no Portal.
De: Profeta- 03/09/2012 13:38

O que as santinhas do mangue fétido estão rosnando aqui? Essa @#$% tá lá na zona, como gerente, e ainda ficam querendo tripudiar. O Timba tá oito pontos na frente, entre os dez melhores, e esses otários asquerosos, morrendo de inveja e sem poder chegar. KKKKKK! MUUUUUUUUUUUU!!! AVANTE, TIMBA!!!

De: hugo"mohamerda!"- 03/09/2012 08:23

É isso ai barbi todo campeonato é assim seja ele estadual ou nacional as bonequinhas nadam nadam e no fim morrem na beira da praia kkkkkkkk

De: Fernando- 02/09/2012 21:06

KKKKKKKK A ELITE NOJENTA ENTROU PELO CANO ESTAVAM PENSANDO QUE ERA OS MAIORAIS ISSO É APENAS O COMEÇO DE UMA SERIE DE LAPADAS QUE VÃO LEVAR

Publicidade



especial

O largo, o povo e a bola

O largo, o povo e a bola

A saga de paixão do Santa Cruz faz 100 anos em 3 de fevereiro de 2014

Sistema Jornal do Commercio de Comunicação
© Copyright © 1997-2014, SJCC - Sistema Jornal do Commercio de Comunicação - Recife - PE - Brasil
Grupo JCPM