NE10
Pernambuco - 20.04.14 - Atualizado às 05h30

Futebol // aflitos

Náutico se reabilita com vitória por 3x0 sobre o Santos

Publicado em 05.08.2012, às 20h26


4ba0b4a158b13b2d26a879b3bf0b05d7.jpg
Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem

Do NE10

O Náutico teve paciência para vencer o Santos por 3x0 neste domingo (5), nos Aflitos, pela 14ª rodada do Campeonato Brasileiro. Mais do que a reabilitação, os três pontos significaram um alívio a mais para os Pernambucanos que subiram para 11ª posição, agora com 16 pontos. Já o Peixe, que ainda não venceu nem marcou gol fora da Vila Belmiro, segue na portaria da zona de rebaixamento, com 13. O próximo compromisso alvirrubro será na quarta-feira (8), contra o Internacional, no Beira-Rio.

Para quem esperava um jogo fácil, o Santos mostrou nos primeiros minutos que seria osso duro de roer. Mas muito disso por conta dos problemas do Náutico. Com o time pouco agrupado, os erros de passe eram constantes e os meias do adversário encontravam muito espaço para raciocinar as jogadas.

» Confira as entrevistas após o jogo

Com o campo de jogo "ampliado" as defesas foram quem mais sofreram. O zagueiro Bruno Rodrigo apareceu duas vezes na área de Gideão para assustar. Na primeira, o chute saiu fraco, nas mãos do camisa 1. Na segunda, a cabeçada foi para fora. No outro lado, a defesa santista falhou clamorosamente num cruzamento de Souza. A bola sobrou para Elicarlos, mas ele chutou em cima de Aranha, que, diga-se de passagem, saiu muito bem do gol.

A segunda investida mais contundente do Náutico resultou em gol, mas foi corretamente anulado. Quando Cleverson lançou Araújo, aos 11 minutos, o camisa 10 estava à frente do penúltimo jogador oponente e, portanto, impedido.

Aos poucos o Santos foi dando mostras da falta de entrosamento de seu time suplente. Um exemplo claro aconteceu aos 22 minutos, na melhor chance de gol até então. Na tentativa de cortar, Pedro Castro chutou em cima de Bruno Rodrigo. A bola sobrou limpa para Souza, apenas com Aranha à frente. O volante fez o correto: tentou encobrir o goleiro. Mas pôs força demais e também encobriu a barra.

Seis minutos depois a retaguarda do Peixe voltou a bater cabeça e permitiu cruzamento de Cleverson - esse, figura carimbada em quase todas as ações ofensivas. Aranha espalmou e, no rebote, Kieza acertou a defesa. Depois desse lance, o Náutico teve dificuldade no passe final e o Santos na hora de coordenar sua saída de jogo. Assim, o 0x0 terminou fazendo justiça pelo que os dois times fizeram, e deixaram de fazer, no primeiro tempo.

Para o segundo tempo, o técnico Alexandre Gallo voltou com Kim no lugar de Cleverson. Se perdeu em velocidade no toque de bola, o Náutico ganhou em posse. E foi com essa posse e muita paciência que o time conseguiu furar o bloqueio santista e seus próprios erros, seu obstáculo maior durante todo jogo.

Foi uma bela jogada individual de Araújo que originou o gol. Ele recebeu de Souza com dois adversários a marc-a-lo. Num giro rápido livrou-se de ambos e bateu cruzado. Aranha defendeu mas o rebote foi para o meio da área. Do jeito que veio, Patric soltou a bomba no canto alto esquerdo, desta vez sem chance para o goleiro santista se recuperar.

No prejuízo - ainda não marcara sequer um gol fora de casa - o Santos mexeu. Miralles entrou no lugar de Victor Andrade. A própria postura do Santos mudou, aliás como todo time que leva um gol. O time de azul tentou reagir e o Náutico postou-se mais atrás, deixando apenas a dupla Araújo/Kieza no campo ofensivo.

Mesmo assim, e com três volantes, o Náutico não fazia pressão no Santos na hora da transição do campo defensivo para o ofensivo. Porém, ao chegar mais perto da área pernambucana, a equipe paulista tinha dificuldade em furar a zaga. Bill era presa fácil para Ronaldo Alves e Marlon e, com isso, impediam as jogadas de aproximação. Restava chutar de fora da área e torcer para os alvirrubros não encaixarem um bom contra-ataque.

Mas o Náutico encaixou. Aos 35, Kim arrancou de seu campo, passou por três marcadores e, na saída de Aranha, tocou por baixo do goleiro para marcar o gol da tranquilidade. O Santos tentou avançar para diminuir o placar e ganhou mais um gol para levar para casa. Aos 46, Araújo puxou o contra-ataque e lançou Kieza. Mesmo pressionado por um marcador, o K9 tocou por baixo do goleiro para fazer 3x0.

Ficha técnica


Náutico: Gideão; Patric, Marlon, Ronaldo Alves e Douglas Santos; Martinez, Elicarlos, Souza (Ramirez) e Cleverson (Kim); Kieza e Araújo. Técnico: Alexandre Gallo.

Santos: Aranha; Bruno Perez, Bruno Rodrigo, Durval e Leo; Pedro Castro (Juan), Leandrinho (Dimba), Henrique e Felipe Anderson; Victor Andrade (Miralles) e Bill. Técnico: Muricy Ramalho.

Local: Aflitos. Árbitro: Wilton Sampaio (Asp.Fifa-GO). Assistentes: Dibert Moisés (Fifa-RJ) e Evandro Ferreira (GO). Gols: Patric, aos 13; Kim, aos 35; Kieza, aos 46 do segundo tempo. Cartões amarelos: Leo, Ronaldo Alves e Kieza. Público: 12.266.

Compartilhe essa notícia

DIGG NEWSVINE STUMBLE WINDOWS LIVE GOOGLE FACEBOOK MYSPACE
Comente esta matéria
validador 

Cadastre-se! Esqueceu a senha? O comentário é de total responsabilidade do internauta que o inseriu. O NE10 reserva-se o direito de não publicar mensagens com palavras de baixo calão, publicidade, calúnia, injúria, difamação ou qualquer conduta que possa ser considerada criminosa. Para participar, é preciso ser cadastrado no Portal.
De: Ipsepiano- 06/08/2012 21:14

Gallo, todo cuidado é pouco, veja que nesta partida contra o Santos, não tomamos nenhum gol, coisa que não ocorria há bastante tempo, veja que o Gideão tem sorte, mantenha ele no time.

De: jorge andre- 05/08/2012 21:00

Parabens Nautico.Parabens tambem à PATRIC,o melhor jogador em campo.Jogou muito bem defedendo,armando jogadas pelo meio,fez excelentes lançamentos e cruzamentos,e foi ainda melhor no ataque,fazendo um belo gol.O time esteve muito bem.Gideão seguro e tranquilo,Marlon e Ronaldo Alves com excelente cobertura na zaga,na realidade todo o time esteve bem:à exceção de Souza,que está falhando em lances fáceis,talvez algum problema pessoal ou insegurança com o proprio futebol.

Publicidade



especial

Derrepente virtual

Derrepente virtual

Produzido por concluintes do curso de Jornalismo da Católica, especial mostra como a literatura de cordel sobrevive na era virtual.

Sistema Jornal do Commercio de Comunicação
© Copyright © 1997-2014, SJCC - Sistema Jornal do Commercio de Comunicação - Recife - PE - Brasil
Grupo JCPM