NE10
Recife - 17.04.14

Pernambuco // Centro

Recife ganha 1º centro público de reprodução

Publicado em 26.05.2009, às 08h13

Do Jornal do Commercio

O Recife vai ganhar o primeiro centro de reprodução humana público do Norte e Nordeste, com capacidade para atender seis casais por mês. O serviço funcionará no Instituto de Medicina Integrada Professor Fernando Figueira (Imip), na área central da cidade, que firmou convênio com o Ministério da Saúde. Os equipamentos já estão no local e a equipe, contratada. Nesta segunda-feira (25), às 17h, o ministro da Saúde, José Gomes Temporão, e o governador do Estado, Eduardo Campos, inauguram a nova unidade.



O centro vai contar com oito médicos, dois biomédicos, um enfermeiro e dois embriologistas, além de psicólogos e assistentes sociais. A equipe vai tratar casais que já receberam diagnóstico de infertilidade e que só podem ter filhos com fertilização in vitro ou inseminação artificial. Como 40% dos casos de infertilidade nos casais são provocados por problemas nos homens, um andrologista integra o grupo.

O processo de seleção será por ordem de chegada ao serviço. Como o Imip já realizava o atendimento básico ambulatorial para casais com dificuldade de reprodução, cerca de 200 famílias já cadastradas no programa saem na frente.

Mas iniciar o atendimento não significa, necessariamente, começar o tratamento. Antes da fertilização, o casal terá que passar por avaliações social e psicológica, um processo parecido com o que acontece para a adoção de crianças.

No entanto, a coordenadora do centro, a médica Madalena Caldas, garante que não haverá exclusão por causa da renda dos casais. “O serviço é público e o SUS (Sistema Único de Saúde) não pode impedir o acesso de ninguém. Então, não vai importar se a pessoa já tem filho, se está no segundo casamento, se é nova ou não. Os critérios para participar serão já ter tentado engravidar por todos os outros métodos e possuir condições sociais e psicológicas para ter filho”, afirmou a especialista.

O serviço que custa em torno de R$ 10 mil em clínicas particulares vai atender seis casais por mês, mas o ambulatório tem capacidade para até 40 consultas por semana. As chances de sucesso variam entre 25% e 30% para mulheres com mais de 39 anos, 40% para pacientes com idades entre 35 e 39 anos e chegam a 50% quando a futura mãe ainda não atingiu os 35 anos.

Questões éticas que envolvem a reprodução assistida estão na pauta do novo centro. Para tentar diminuir o número de mulheres com gravidez múltipla, a quantidade de embriões implantados será sempre o mínimo possível. “Em mulheres com menos de 30 anos, vamos implantar um embrião apenas. Entre 30 e 35 anos, a orientação é que sejam usados dois embriões. Somente para mulheres acima de 35 anos é que vamos usar três embriões”, explicou Madalena Caldas.

Entre 5% e 8% dos casos de fertilização artificial resultam em gravidez de trigêmeos. Na inseminação artificial, quando a mulher é estimulada a ovular por meio de medicamentos e o espermatozóide é implantado dentro da cavidade uterina, as chances de gravidez gemelar são menores. O risco aumenta na fertilização in vitro, que consiste na implantação do óvulo já pronto no organismo da mulher, depois de já ter passado entre três e cinco dias em uma incubadora.

Homens e mulheres infectados com vírus como hepatite B, C e HIV também poderão passar pelo centro. O objetivo é evitar a contaminação vertical, passada de pai para filho. A formação de um banco de espermatozóides ainda está em estudo. “O Imip ainda não se posicionou em relação a essa questão, porque envolve discussões éticas”, explicou Madalena Caldas.

Compartilhe essa notícia

DELICIOUS DIGG NEWSVINE STUMBLE WINDOWS LIVE GOOGLE FACEBOOK MYSPACE TWITTER
Comente esta matéria
validador 

Cadastre-se! Esqueceu a senha? O comentário é de total responsabilidade do internauta que o inseriu. O JC ONLINE reserva-se o direito de não publicar mensagens com palavras de baixo calão, publicidade, calúnia, injúria, difamação ou qualquer conduta que possa ser considerada criminosa. Para participar, é preciso ser cadastrado no Portal.
De: LUCIANA- 27/05/2009 23:39

EU ADOREI ESSA MATÉRIA,O GOVERNO JÁ ESTA EM BOA HORA PARA INVESTIR NAS PESSOAS DE BAIXA RENDA POIS A 10 AMOS TENTO ENGRAVIDAR E NÃO CONDIGO QUANDO PESQUISEI O VALOR DA INSEMINAÇÃO ACHEI UM ABSURDO E CHEGUEI A CONCLUSÃO QUE NESSA ENCARNÇÃO NÃO TERIA FILHOS, PRÉM A INFORMAÇÃO DE QUANDO DEVEMOS E AO IMIP PARA NOS CADASTRAR E COMO SERÁ O PRECESSO SELETIVO, NÃO CONDEGUI ENTENDER? PARABÉNS A NOS MULHERES " MÃE"

De: Karla- 26/05/2009 15:07

Recife está de parabéns!!!!!!!! Agradeço primeiro a Deus e depois a Drª Madalena e Drª Ana Eunice que com muita dedicação e profissionalismo fizeram com que meu sonho de ser mãe se realizasse em triplo!! Sou mãe de trigêmeos e sou muito feliz e grata por isto!! À toda mulher que sonha em ser mãe e por algum motivo não pode engravidar eu digo: não desistam NUNCA, e agora,com este Centro sendo inaugurado é que as suas chances aumentarão!! Boa sorte a todas!!

De: MÔNICA- 26/05/2009 11:56

ADOREI SABER DESSA NOVIDADE! O GOVERNO TINHA MESMO QUE SE PREOCUPAR COM MULHERES QUE NÃO ENGRAVIDA , QUE É O MEU CASO! PONTO PARA O PODER PÚBLICO.

Publicidade

ranking



especial

O largo, o povo e a bola

O largo, o povo e a bola

A saga de paixão do Santa Cruz faz 100 anos em 3 de fevereiro de 2014

Sistema Jornal do Commercio de Comunicação
© Copyright © 1997-2014, SJCC - Sistema Jornal do Commercio de Comunicação - Recife - PE - Brasil
Grupo JCPM