NE10
Pernambuco - 19.04.14 - Atualizado às 17h01

quadrilha

Seis homens são presos acusados de assaltos a bancos de Pernambuco

Publicado em 06.09.2011, às 10h40

06b3ff99200f2299db7ccf9ce7a7633e.jpg
Bando utilizava marreta para quebrar vidraças de bancos nas investidas
Foto: Andréa Almeida/NE10
Do NE10

Seis homens acusados de integrarem uma quadrilha que já efetuou vários assaltos a bancos do Recife e do interior de Pernambuco foram apresentados, na manhã desta terça-feira (2), na sede da Polícia Civil, na Rua da Aurora, Centro do Recife. Entre os retidos, quatro deles tiveram participação no assalto ao Banco Itaú do Hospital Português, no último dia 29 de julho deste ano. Eles foram autuados em flagrante por formação de quadrilha e porte ilegal de armas de fogo. De acordo com o delegado da Unidade de Repressão ao Roubo e Furto, Marcos Cavalcanti, o bando é considerado de alta periculosidade.

A partir do assalto ao Banco Itaú, os agentes do Departamento de Repressão aos Crimes Patrimoniais (Depatri) deram início às investigações da quadrilha e, no dia 31 de agosto - dia de pagamento, a prisão dos seis criminosos foi efetuada. Na ocasião, eles estavam reunidos em um local não detalhado pela Polícia, no bairro da Madalena, onde efetuariam um assalto ao Banco do Brasil da Benfica, próximo ao supermercado Extra. Enquanto esperavam as armas para a execução da investida, os policiais realizaram o flagrante.

Com Edvan Vieira de Melo, o "Junior Mutante", 33 anos; Marcelo Araújo da Silva, "Pé de Pano", 31; Moab João Batista dos Santos, conhecido como "Lindo", 32; Rafael Rodrigo Cordeiro Olímpio, o "Ceguinho", 25; Walter Martins da Silva, "Amarelo", 45; e William Henrique da Silva, "Michell", 22, foram encontradas seis armas de fogo com calibres diversos, munições, uma calça da empresa de segurança Transval, uma marreta, um veículo Renalt Sandero e duas motos Honda. Cinco deles já tinham antecedentes criminais e alguns eram fugitivos do sistema penitenciário.

Segundo o delegado Marcos Cavalcanti, uma característica marcante do grupo era quebrar as portas de vidros das instituições com uma marreta. "No assalto ao Itaú do hospital, por exemplo, eles agiram dessa forma. São figurinhas carimbadas", lembrou o oficial. Um deles, Marcelo, também é acusado de participar do assalto ao Banco do Brasil de Bom Jardim - em janeiro deste ano - e do banco da mesma empresa em Machados - em março. Já William confessou duplo homicídio ocorrido em 28 de agosto no bairro de Dois Unidos, por desentedimento entre quadrilhas. Também Marcelo, Moab, Edvan e William participaram do assalto à agência do Hospital Português.

Outros suspeitos de fazerem parte do grupo ainda estão sendo investigados. Respondendo por formação de quadrilha, eles podem pegar penas que variam entre 2 e 6 anos de reclusão; já por porte ilegal de armas de fogo entre 1 e 4 anos.

Compartilhe essa notícia

DIGG NEWSVINE STUMBLE WINDOWS LIVE GOOGLE FACEBOOK MYSPACE
Comente esta matéria
validador 

Cadastre-se! Esqueceu a senha? O comentário é de total responsabilidade do internauta que o inseriu. O NE10 reserva-se o direito de não publicar mensagens com palavras de baixo calão, publicidade, calúnia, injúria, difamação ou qualquer conduta que possa ser considerada criminosa. Para participar, é preciso ser cadastrado no Portal.

Publicidade



ranking

especial

Derrepente virtual

Derrepente virtual

Produzido por concluintes do curso de Jornalismo da Católica, especial mostra como a literatura de cordel sobrevive na era virtual.

Sistema Jornal do Commercio de Comunicação
© Copyright © 1997-2014, SJCC - Sistema Jornal do Commercio de Comunicação - Recife - PE - Brasil
Grupo JCPM