NE10
Pernambuco - 16.04.14 - Atualizado às 13h21

Grande Recife // Mobilidade

No desafio de encarar o trânsito do Recife, bicicleta vence moto, carro e metrô

Publicado em 13.09.2012, às 22h41


c6c9750467a9f1790d921291454baf5e.jpg
Participantes da disputa fizeram percurso do Centro à Zona Sul
Foto: NE10

Do NE10

Na hora do rush, qual a forma mais rápida de se locomover dentro da cidade? Entre 12 transportes postos em julgamento nesta quinta-feira no Recife, a bicicleta levou vantagem diante de veículos como moto e metrô. Do Centro (Shopping Boa Vista) à Zona Sul da cidade (Shopping Recife), o ciclista precisou de 36 minutos, 2 a menos que quem fez o percurso de moto. A diferença da bike para o metrô foi de 23 minutos. Para o automóvel, 25 minutos, e para o coletivo, surpreendentes 43 minutos. A largada dos 12 voluntários se deu às 18h, e o percurso cumprido - que podia variar já que o traçado ficou à escolha do participante - era de cerca de 11 km.

No Desafio Intermodal, organizado pelo Observatório do Recife, os patins foram uma das surpresas. Ozildo Ferreira, o segundo a cruzar a linha de chegada, completou o trajeto em menos de 40 minutos. O rapaz conta que o trânsito lento o ajudou, uma vez que, devido à ausência de um asfalto próprio para a atividade, cortou caminho entre os automóveis. "Patins nas ruas do Recife é uma opção suicida. Você precisa ter bastante habilidade porque não há estrutura e, por isso, é preciso seguir pela via dos carros", disse Ferreira.

César Barros se locomove a pé, de metrô, bicicleta, sai de carona. Evita o carro e rejeita o ônibus por julgar mal planejadas as linhas e paradas. E também pelo fato de o transporte não atender a todo o território. Escolheu a corrida para contribuir com a pesquisa do Desafio e a avaliação que fez, pouco mais de uma hora após deixar o Centro do Recife, foi das piores. "Uma coisa é correr nas ruas com batedor, num circuito fechado. Outra é sair no meio de calçadas sem pavimento, com buracos. Quase torço o pé. Sem falar na falta de segurança e trechos desertos no caminho", reclama o arquiteto.

Um dos quatro ciclistas no evento, Sílvio Monte aponta os benefícios do transporte que abraçou: "Escolhi a bicicleta pelo cenário de caos no trânsito da cidade, porque contribui para o meio ambiente e para me manter saudável", lista. Erico Andrade segue a mesma linha. Completou o caminho parte caminhando, parte de metrô, mas é adepto da bicicleta porque prefere controlar o tempo de deslocamento e observar a cidade por outra perspectiva. "O metrô estava tranquilo, vim sentado lendo um livro. O problema foi descer na estação e vir andando para o shopping. Cenário muito esquisito, com ruas mal iluminadas", relatou.

O cronômetro marcava 1h01 quando Camila Marques chegou à Zona Sul em seu carro. O tempo a garota avaliou como bom, numa ressalva para o atípico fluxo de veículos que esta quinta-feira apresentava. "Vim pelas avenidas Agamenon Magalhães e Domingos Ferreira e notei que o trânsito não estava tão intenso. Ainda assim, é um percurso que deveria ser feito em 20, 30 minutos se não houvesse trânsito."

A combinação ônibus + metrô teve aspectos bastante positivos para Cláudia Holder. Ela cita a segurança e limpeza dos veículos, a possibilidade de interação com outras pessoas e o baixo custo da passagem. O valor desembolsado para pegar dois ônibus e um metrô foi R$ 2,15, já que ela usou a integração. Mas o lado ruim do passeio, que demorou 1h28, não ficou escondido: buracos na calçada até chegar na parada de ônibus e espera de 20 minutos até o coletivo aparecer foram anotados. "Ônibus não tem previsão de chegada, não tem frequência. Depois de 20 minutos aguardando um, chegaram logo dois juntos", queixou-se.

MAIS QUE TEMPO - O Desafio Intermodal, há sete anos realizado em cidades como Rio de Janeiro e São Paulo e estreante no Recife, visa mais que cronometrar o tempo de cada modal. Debater a mobilidade urbana é o foco. Ao término do trajeto, os participantes responderam uma pesquisa avaliando segurança e praticidade do percurso, conforto e condições do trânsito. Custo do transporte e o cálculo da emissão de gases também estarão no relatório a ser apresentado em um mês pelos organizadores do evento. "Queremos discutir sobre outros meios de transporte. Cutucar os políticos e a sociedade para sair da estagnação de que só se precisa buscar soluções para o carro", apontou Angela Silva.

O tempo de cada modal:


1º bicicleta 36min 06seg
2º patins 37min 20seg
3º moto 38min 30seg
4º bicicleta + metrô 42min 06seg
5º bicicleta 49min 28seg
6º bicicleta + barco 52min 19seg
7º metrô + andando 59min 18seg
8º carro 01h01
9º corrida 01h02
10º ônibus
01h19
11º ônibus + metrô 01h28
12º caminhada 01h44

Compartilhe essa notícia

DIGG NEWSVINE STUMBLE WINDOWS LIVE GOOGLE FACEBOOK MYSPACE
Comente esta matéria
validador 

Cadastre-se! Esqueceu a senha? O comentário é de total responsabilidade do internauta que o inseriu. O NE10 reserva-se o direito de não publicar mensagens com palavras de baixo calão, publicidade, calúnia, injúria, difamação ou qualquer conduta que possa ser considerada criminosa. Para participar, é preciso ser cadastrado no Portal.
De: Fernando- 16/09/2012 15:45

ACHO UMA IMBECILIDADE FAZER ESSE TIPO DE COMPARAÇÃO POIS ESTA NA CARA QUE A BICICLETA EM TRANSITO ENGARRAFADO ANDA MAS DEPRESSA POIS NÃO RESPEITAM NADA NEM SINAL NEM FAIXA DE PEDESTRE

De: Antônio Azevedo- 15/09/2012 19:18

Concordo quando dizem que algumas pessoas que andam de bicicletas e alguns pedestres não admitem regras, mas será que todo motorista habilitado admite as regras a ele impostas pelo CTB? Fico a me questionar, será que ensinam nas auto escolas a estacionarem em cima das calçadas? A parar seus veículos em cima das faixas de pedestres? Entre tantas outras barbaridades que vemos diariamente nas ruas. Eu sou a favor da disciplina de Educação no Trânsito em todas as escolas (públicas, privadas e municipais) desde o ensino fundamental até o ensino médio, por que o que mais se vê no trânsito Brasileiro é a falta de respeito, e aí todos estão inclusos pedestres, ciclistas, aqueles que andam de bicicletas e motoristas.

De: EMANUEL- 15/09/2012 17:41

Será que nessa cidade todo mundo prefere andar de "bike" ou de patins pra tudo agora? Será que só eu prefiro andar de carro e por isso estou cometendo alguna pecado? Será que esses felizes ciclistas levam filhos ao colégio de "bike" ou de patins? Acho estranho, muito estranho que a cidade esteja cheia de carros e com um transito complicado também por uma administração caótica e só apareça nessa coluna defensores da idéia de que se deve abandonar os carros ao invés de reivindicar uma melhor gestão do transito. Estranho, muito estranho.

Publicidade



ranking

especial

Sport Campeão Nordestão 2014

Sport Campeão Nordestão 2014

A conquista e a campanha para o Leão chegar a seu título na Copa Nordeste

Sistema Jornal do Commercio de Comunicação
© Copyright © 1997-2014, SJCC - Sistema Jornal do Commercio de Comunicação - Recife - PE - Brasil
Grupo JCPM