NE10
Pernambuco - 19.04.14 - Atualizado às 19h03

Grande Recife // Paralisação

Em assembleia, policiais civis de Pernambuco radicalizam greve

Publicado em 26.07.2012, às 19h12


8cc02ffe0f4df1bbd2cc389d53286d05.jpg
Apenas três delegacias de plantão permanecerão funcionando, em Olinda, Prazeres e na Várzea
Foto: Foto: Hélia Scheppa/JC Imagem

Do NE10

Em mais uma assembleia realizada na tarde desta quinta-feira (26), cerca de 800 policiais civis de Pernambuco votaram pela radicalização da greve, ou seja, apenas três delegacias de plantão irão operar  - Olinda, Prazeres e Várzea - e pelo cumprimento rigoroso do "Cumpra-se a lei", ou seja, todos os procedimentos que requerem a presença do delegado só serão realizados pelo escrivão de polícia com a presença dele. A radicalização já vale a partir da 0h desta sexta (27). A assembleia, que teve início às 17h, deveria acontecer no auditório do Sindicato dos Policiais Civis de Pernambuco (Sinpol), mas devido ao grande número de presentes, a reunião acabou sendo realizada na rua Frei Cassimiro, em Santo Amaro.

Os manifestantes também foram a favor de entrar com representação na justiça pernambucana contra o delegado do Instituto de Identificação Tavares Buril (IITB), Jandir Carneiro, por assédio moral, além da realização de uma passeata, na próxima quarta (01), com saída da frente do Instituto de Criminalística, em Campo Grande e chegada na sede provisória do governo do Estado, no Centro de Convenções. Uma nova assembleia será realizada no local.

Em greve desde a útima segunda-feira (23), a paralisação da categoria foi considerada ilegal pelo Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) no mesmo dia que teve início, determinando o retorno imediato dos policiais ao serviço. A greve também foi criticada pelo governador Eduardo Campos.

SAIBA TAMBÉM:
» Greve dos policiais civis de Pernambuco começa nesta segunda


REIVINDICAÇÕES - Os grevistas reivindicam reajuste salarial de 65%, adicional noturno, horas-extras, vale-refeição e melhorias de locais de trabalho e equipamentos de segurança, como coletes à prova de bala, entre outras medidas. Eles também reclamam da falta de xadrez nas viaturas (tela que separa os bancos dianteiros do traseiro).

MOBILIZAÇÕES - De março até julho, os policiais civis já realizaram sete assembleias, duas paralisações de 24h e vários atos de protesto, com destaque para as manifestações que aconteceram em Caruaru e Garanhuns.

Compartilhe essa notícia

DIGG NEWSVINE STUMBLE WINDOWS LIVE GOOGLE FACEBOOK MYSPACE
Comente esta matéria
validador 

Cadastre-se! Esqueceu a senha? O comentário é de total responsabilidade do internauta que o inseriu. O NE10 reserva-se o direito de não publicar mensagens com palavras de baixo calão, publicidade, calúnia, injúria, difamação ou qualquer conduta que possa ser considerada criminosa. Para participar, é preciso ser cadastrado no Portal.
De: verídico- 02/08/2012 21:19

se vocês querem ganhar um bom salário, façam concurso para a polícia federal. as inscrições vaõ estar abertas e façam, quem tem competência de fazer a prova e passar, sejam federais.

De: Jonathan Pessoa- 30/07/2012 10:09

Quero afirmar ao guardinha que deu essa opinião mediocre que, a grande maioria dos policiais civis do estado de Pernambuco possuem nivel superior de ensino, e é complicado que a pessoa passe no mínimo 4 anos cursando um curso superior( eu mesmo passei cinco, sou formado em direito e ainda especialista em direito pela escola da OAB) e recebr um salário miserável, além de ter que trabalhar, como eu trabalho, numa sala caindo pó chegando a causar problemas respiratórios em um colega meu. Sinceramente guardinha, fica onde tu tá, porque eu dúvido que tu tenha competência pra passar no próximo concurso, ou mesmo titulação pra tanto (o próximo concurso será superior). Então fica na tua, comendo teus toquinhos, e se liga, a civil pode estar de olho e te pega em flagrante, ai o bicho pega.

De: Paulo- 27/07/2012 07:52

Em qualquer área dita profissional, só haverão trabalhadores motivados e qualificados quando forem tratados e respeitados como tal e aí envolve não somente a questão salarial como também as condições de trabalho. Ainda vivemos no século passado quando o assunto é segurança pública, os metódos são os mesmos, não há a política da meritocracia, e principalmente o produto final chamado inquérito policial é uma peça extremamente burocrática e ritualizada que só serve para "justificar" o pseudo título de Doutor para os delegados de polícia.

Publicidade



ranking

especial

Sport Campeão Nordestão 2014

Sport Campeão Nordestão 2014

A conquista e a campanha para o Leão chegar a seu título na Copa Nordeste

Sistema Jornal do Commercio de Comunicação
© Copyright © 1997-2014, SJCC - Sistema Jornal do Commercio de Comunicação - Recife - PE - Brasil
Grupo JCPM