NE10
Pernambuco - 23.04.14 - Atualizado às 08h59

Grande Recife // greve

Governador de Pernambuco diz que não há possibilidade de reajuste para policiais civis

Publicado em 23.07.2012, às 10h01


8ce2804e9c8c82709df6fb8a9ac85acc.jpg
Foto: Hélia Scheppa/JC Imagem

Do NE10 Com informações da Rádio Jornal

ATUALIZADA ÀS 10H40

Sobre as negociações com os policiais civis pernambucanos em greve desde o início desta segunda-feira (23), o governador Eduardo Campos disse que "não há possibilidade de incremento em folha de pagamento". A declaração foi dada em entrevista à Rádio Jornal, durante a assinatura da ordem de serviço para a reforma do Hospital Barão de Lucena, na Zona Oeste do Recife, na manhã desta segunda.


Os grevistas reivindicam reajuste salarial de 65%, adicional noturno, horas-extras, vale-refeição e melhorias de locais de trabalho e equipamentos de segurança, como coletes à prova de bala, entre outras medidas. Eles pedem que o salário seja o segundo melhor do País e primeiro lugar no Nordeste, passando o inicial de Sergipe, que é de R$ 4150.

LEIA MAIS
» Em primeiro dia de paralisação, Sinpol orienta grevistas nos locais de trabalho
» Governo estadual se reúne com policiais civis mas estado de greve é mantido
» Greve dos policiais civis de Pernambuco começa nesta segunda. Cartilha orienta como categoria deve proceder

"Nós já fizemos um acordo com essa categoria e vamos cumprir", afirmou o governador. O acordo, segundo a secretaria estadual de Administração (SAD), foi fechado em 2011 com reajustes até 2014, prevendo aumento de 8,4% este ano; 8,14% em 2013; e, por último, 14,55%. Segundo Eduardo Campos, a Procuradoria Geral do Estado entrará na Justiça para pedir a paralisação da greve, considerada ilegal.

A SAD só irá se posicionar sobre a paralisação e as próximas reuniões com os grevistas no final do dia, quando a Secretaria de Defesa Social (SDS) terá feito um balanço sobre o andamento da mobilização e a estimativa de quantos policiais realmente cruzaram os braços.

De acordo com o presidente do Sindicato dos Políciais Civis de Pernambuco (Sinpol-PE), estão mantidos 30% dos serviços considerados "essenciais e inadiáveis". Ainda são feitos registros de flagrantes nas delegacias de plantão (Casa Amarela, Santo Amaro, Várzea, Cordeiro, Boa Viagem, Paulista, Prazeres e Casa Caiada), perícias em locais de crimes e trabalhos do Instituto de Medicina Legal (IML).

Compartilhe essa notícia

DIGG NEWSVINE STUMBLE WINDOWS LIVE GOOGLE FACEBOOK MYSPACE
Comente esta matéria
validador 

Cadastre-se! Esqueceu a senha? O comentário é de total responsabilidade do internauta que o inseriu. O NE10 reserva-se o direito de não publicar mensagens com palavras de baixo calão, publicidade, calúnia, injúria, difamação ou qualquer conduta que possa ser considerada criminosa. Para participar, é preciso ser cadastrado no Portal.
De: André- 23/07/2012 19:48

Em resposta ao infeliz comentário do sujeito que se diz Cidadão, o trabalho da Polícia Civil não é ostensivo, se é que você sabe o que isso significa. A PC é o elo entre o que acontece nas ruas (crimes) e o Judiciário. Somos nós quem investigamos e mandamos o procedimento para a Justiça. E vamos às ruas sim, apesar de não ser o nosso principal trabalho. Se acha que não fazemos falta, quando for "prestar uma queixa", vá num batalhão, num quartel ou num circo e cobre o andamento.

De: Jose Almeida- 23/07/2012 19:21

"PCPE: CARGO DE NÍVEL SUPERIOR COM SALÁRIO DE NÍVEL MÉDIO!" E Professor é o que? Obs. Façam B.O. online.

De: PCPE- 23/07/2012 18:14

PCPE: CARGO DE NÍVEL SUPERIOR COM SALÁRIO DE NÍVEL MÉDIO!

Publicidade



ranking

especial

Derrepente virtual

Derrepente virtual

Produzido por concluintes do curso de Jornalismo da Católica, especial mostra como a literatura de cordel sobrevive na era virtual.

Sistema Jornal do Commercio de Comunicação
© Copyright © 1997-2014, SJCC - Sistema Jornal do Commercio de Comunicação - Recife - PE - Brasil
Grupo JCPM