NE10
Pernambuco - 16.04.14 - Atualizado às 22h17

Grande Recife // manifestação

Após manhã tensa, estudantes organizam novo protesto no Centro do Recife

Publicado em 20.01.2012, às 12h47


fd4bbf64e4a7cf6ae59d7c4560287f9e.jpg
Estudantes não aceitam reajuste de 6,5%
Foto: Daniel Guedes/Blog de Jamildo
Do NE10 Com informações de Daniel Guedes

ATUALIZADA ÀS 13H39

Depois de um protesto que terminou em confusão na manhã desta sexta-feira (20), os estudantes da Região Metropolitana do Recife, inconformados com o reajuste de 6,5% na tarifa das passagens de ônibus, resolveram organizar outra manifestação. No início da tarde, eles começaram nova mobilização na Rua do Hospício, próximo ao Parque 13 de Maio, no bairro da Boa Vista, área central do Recife, em frente à Faculdade de Direito. O Batalhão de Choque se posicionou no lado oposto, no cruzamento da Rua Princesa Isabel com a Rua da Saudade. O trânsito segue lento e conta com a ajuda de agentes de trânsito.

LEIA MAIS
» Correria, bombas de efeito moral e feridos marcam protesto de estudantes no Recife
» Vídeo: discussão e tumulto em ação ostensiva do Batalhão de Choque

Um novo grupo de policiais armados tentaram fechar o acesso, por trás dos estudantes. Alguns homens do Batalhão de Choque avançaram, mas recuaram em seguida. Os estudantes saíram em caminhada pela Princesa no sentido Palácio do Campo das Princesas, ocupando duas das quatro faixas da via. O Batalhão de Choque acompanha a manifestação pela calçada. O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Henrique Mariano, segue para a Faculdade de Direito para se reunir com os estudantes.

O Batalhão de Choque voltou a usar bombas de efeito moral e balas de borracha contra os manifestantes que, depois da confusão, entraram na Faculdade de Direito. Ônibus lotados com passageiros ficaram no meio da confusão. Passageiros assustados começaram a descer dos coletivos. Uma estudante foi detida e outro ficou ferido.

Atingido por uma bala de borracha, o estudante de História da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) Vagner Pereira de Oliveira, 23 anos, criticou a atuação da polícia. "A faculdade é um território federal e a policia estadual não tem jurisprudência para atuar aqui", disse. Ele estava na Faculdade de Direito, de costas, pedindo para os colegas não jogarem pedra, quando foi atingido.

A manifestação inicialmente organizada via redes sociais por estudantes da Região Metropolitana do Recife, no último fim de semana, terminou em confusão e causou transtornos à população que tentava chegar ao trabalho no início da manhã desta sexta-feira (20).

Compartilhe essa notícia

DIGG NEWSVINE STUMBLE WINDOWS LIVE GOOGLE FACEBOOK MYSPACE
Comente esta matéria
validador 

Cadastre-se! Esqueceu a senha? O comentário é de total responsabilidade do internauta que o inseriu. O NE10 reserva-se o direito de não publicar mensagens com palavras de baixo calão, publicidade, calúnia, injúria, difamação ou qualquer conduta que possa ser considerada criminosa. Para participar, é preciso ser cadastrado no Portal.
Nenhum comentário encontrado!

ranking

especial

O largo, o povo e a bola

O largo, o povo e a bola

A saga de paixão do Santa Cruz faz 100 anos em 3 de fevereiro de 2014



Sistema Jornal do Commercio de Comunicação
© Copyright © 1997-2014, SJCC - Sistema Jornal do Commercio de Comunicação - Recife - PE - Brasil
Grupo JCPM