NE10
Recife - 21.04.14

Emprego&Concurso // NÍVEL MÉDIO

Prova da PM será mais fácil

Publicado em 14.09.2009, às 08h02

Leonardo Spinelli lspinelli@jc.com.br

As inscrições para o concurso da Polícia Militar, que vai selecionar 2.100 novos soldados para trabalhar nas ruas do Estado, seguem até o dia 4 de outubro. Já as provas estão marcadas para acontecer no dia 22 de novembro nas cidades do Recife, Petrolina, Garanhuns, Caruaru e Nazaré da Mata. Portanto, faltam exatamente 69 dias para o exame e vários cursos preparatórios estão iniciando hoje as aulas focadas no teste. Para os professores especializados, a prova, que será ministrada pelo Instituto de Apoio a Universidade de Pernambuco (Iaupe), não trará muitas dificuldades e, por isso mesmo, ainda há tempo hábil para se preparar, inclusive para os testes físicos, que serão aplicados em janeiro aos candidatos que passarem na primeira fase.

LEIA MAIS
» Testes físicos exigem muita preparação

De acordo com o edital, a prova, de nível médio, vai exigir dos candidatos a policiais militares conhecimentos de língua portuguesa, matemática, geografia, história e direitos e garantias fundamentais. De forma geral, os professores avaliam que o teste terá um nível de dificuldade menor do que o último certame da corporação realizado pelo Ipad em 2006.

Segundo o professor de matemática Josemar Martins, do Meta Concursos, o conteúdo da matéria não mudou em relação ao concurso realizado pelo Ipad. “A diferença é que as provas da UPE são mais diretas. Tem enunciado com história, mas a interpretação é mais fácil. No Ipad as questões são mais subjetivas, o que pode levar ao erro”, salientou. “O ideal é estudar a partir da prova da PM de 2004, que foi realizada pela UPE”, disse.

“Em todo concurso existem cascas de banana. O aluno tem de tomar cuidado com o enunciado. Depois de achar o resultado é importante voltar à proposição para ver se a resposta bate com o que pede a questão”, acrescenta. Ele informa, que por isso mesmo, o candidato tem de estar muito atento ao português, “pois 50% do problema é a sua interpretação”.

Como referência bibliográfica, o professor aconselha qualquer livro da 6ª e 7ª séries do ensino médio. “O que está se pedindo são os fundamentos da matemática. “Não cairão assuntos como função. Vai ser uma prova focada em percentagem, juros simples. É coisa básica e isso o transforma num curso fácil de passar. O problema é que a concorrência será acirrada, então o aluno tem de tentar fechar a prova”, aconselha.

Para quem está estudando, a prova de geografia também não trará muitas dificuldades. Serão apenas cinco questões sobre o tema e não há no edital referência ao peso da matéria, além de não falar sobre ponto de corte, no caso de o candidato errar todas as questões de um determinado assunto.

“Como serão poucas questões, geografia não funcionará como ponto de desempate”, diz o professor de geografia, Vlademir Ferreira. Ele diz que os assuntos são os mesmos da última prova da PM. “Por isso aconselho o candidato a focar na geografia de Pernambuco ou trazer os temas de estudo para questões relativas ao Estado”, salientou. “Clima do Nordeste é um tema que com certeza cairá numa das questões”, comentou.

Ferreira afirma que o aluno tem de ficar esperto nas questões relativas à globalização e atualidades, Mercosul e relação com os Estados Unidos e União Europeia. “Sobre a geografia do Estado, uma boa fonte de estudos é o Atlas de Pernambuco, modernizado pela UFPE. Sobre blocos econômicos, qualquer livro de nível médio já tem. Além disso, a temática sobre demografia é forte. Portanto, acredito que vai cair uma questão de demografia, outra de urbanização, outra de clima, outra de geografia do Estado e mais uma sobre os blocos econômicos”, arrisca. Nos temas relativos à urbanização, o candidato deve prestar atenção nos textos do autor Milton Santos. “Quem estudar todos os dias, com um dia semanal de descanso, não terá muitos problemas com essa prova”, diz.

Com relação ao tema de direitos e garantias fundamentais, a professora de direito constitucional Conceição Moraes informa que o programa dessa prova em relação ao último teste da PM ficou menor. “Ficou restrito ao Artigo 5º da Constituição e ainda por cima não pega todo o texto, que tem 78 incisos e quatro parágrafos. O conteúdo programático só pede 21 pontos do Artigo 5º. Por isso, arrisco até dizer que quem decorar a lei fará bem a prova. Sabendo os incisos, não haverá problema”, diz a professora. Ela alerta, no entanto, para a questão do português. “O aluno, no entanto, tem de saber o que significam os termos. O princípio da isonomia, por exemplo. A pessoa tem de saber que o tema se refere à igualdade de tratamento”, comentou.

Conceição comenta que a prova vai focar bastante no tema, até porque o número de questões aumentou de 10 para 20. “Ou seja, os direitos fundamentais estão com um peso grande. De forma geral, o candidato tem de saber das questões relativas ao direito à vida, o que é homicídio, o direito à propriedade, intelectual inclusive, liberdade de locomoção. Não é necessário conhecer as súmulas vinculantes das supremas cortes porque esta prova é de nível médio”, afirmou.

Fonte:

Compartilhe essa notícia

DELICIOUS DIGG NEWSVINE STUMBLE WINDOWS LIVE GOOGLE FACEBOOK MYSPACE TWITTER
Comente esta matéria
validador 

Cadastre-se! Esqueceu a senha? O comentário é de total responsabilidade do internauta que o inseriu. O JC ONLINE reserva-se o direito de não publicar mensagens com palavras de baixo calão, publicidade, calúnia, injúria, difamação ou qualquer conduta que possa ser considerada criminosa. Para participar, é preciso ser cadastrado no Portal.
De: Rafinha- 06/11/2009 11:54

Sobre o assunto de Lingua Portuguesa.. Será q cai sobre a nova regra ortográfica?? agradeço..

De: DENILSON- 14/09/2009 21:52

COSTARIA DE SABER SE TEM VAGAS PARA DEFICIENTES QUE É OBRIGATOERIO POR LEI. ENTRE 5 A 3% DAIS VAGAS.

Publicidade

ranking



especial

Sport Campeão Nordestão 2014

Sport Campeão Nordestão 2014

A conquista e a campanha para o Leão chegar a seu título na Copa Nordeste

Sistema Jornal do Commercio de Comunicação
© Copyright © 1997-2014, SJCC - Sistema Jornal do Commercio de Comunicação - Recife - PE - Brasil
Grupo JCPM