NE10
Pernambuco - 20.04.14 - Atualizado às 05h30

Economia // INSS

Aposentados terão reajuste real

Publicado em 14.07.2011, às 07h22

Do Jornal do Commercio

Os aposentados e pensionistas do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) poderão ter seus benefícios reajustados acima da inflação no próximo ano. A Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2012, aprovada ontem pelo plenário do Congresso Nacional, prevê que o governo terá que negociar com as centrais sindicais e representantes de aposentados um índice de aumento dos benefícios.

Os trabalhadores que recebem o salário mínimo já têm garantido um aumento real, acima da inflação. Isso porque lei já aprovada cria a política de valorização do salário mínimo, que estabelece que o valor do piso será calculado com base na inflação do período, mais o PIB dos dois anos anteriores. Em 2012, o PIB a ser considerado será o de 2010, de 7,5%. Assim, o salário mínimo e os aposentados que recebem o piso previdenciário terão em 2012 reajuste entre 13% e 14%. Para 2011, a LDO também previa garantia semelhante, mas o aumento real não foi possível porque o PIB de 2009 foi negativo.

APOSENTADOS - Até terça-feira passada, não havia menção de aumento das aposentadorias e pensões no próximo ano. Mas de última hora, o senador Paulo Paim (PT-RS) conseguiu emplacar no texto a garantia de negociação. A emenda do senador petista contempla os aposentados que recebem benefícios superiores ao salário mínimo, que atualmente é de R$ 545.

Na proposta orçamentária de 2011, que foi aprovada no último ano de governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, essa previsão foi inserida no texto, mas o governo só concedeu um reajuste equivalente à inflação acumulada em 12 meses, algo próximo de 6,5%. Agora haverá nova tentativa de emplacar o reajuste acima da inflação, para atendimento de reivindicação antiga dos aposentados.

A LDO definiu ainda um prazo para que o Tribunal de Contas da União (TCU) encaminhe à Comissão Mista de Orçamento (CMO) as obras com indícios de irregularidades.

A partir da realização da auditoria no empreendimento com recursos públicos, o TCU terá 40 dias para decidir pela paralisação da obra ou retenção de recursos por indícios de irregularidades. Do total de 40 dias, 15 deles deverão ser destinados para a empresa apresentar as informações necessárias para ficar fora da lista negra do Tribunal de Contas.

Compartilhe essa notícia

DIGG NEWSVINE STUMBLE WINDOWS LIVE GOOGLE FACEBOOK MYSPACE
Comente esta matéria
validador 

Cadastre-se! Esqueceu a senha? O comentário é de total responsabilidade do internauta que o inseriu. O NE10 reserva-se o direito de não publicar mensagens com palavras de baixo calão, publicidade, calúnia, injúria, difamação ou qualquer conduta que possa ser considerada criminosa. Para participar, é preciso ser cadastrado no Portal.

Publicidade



ranking

  1. Nenhuma notícia lida até o momento

especial

Derrepente virtual

Derrepente virtual

Produzido por concluintes do curso de Jornalismo da Católica, especial mostra como a literatura de cordel sobrevive na era virtual.

Sistema Jornal do Commercio de Comunicação
© Copyright © 1997-2014, SJCC - Sistema Jornal do Commercio de Comunicação - Recife - PE - Brasil
Grupo JCPM